Tuesday, December 13, 2005

E se Deus resolvesse q gostaria da companhia daquele seu vizinho festeiro, q vivia bebendo e se divertindo com os amigos, na eternidade com Ele? O q vc, q passou a vida de joelhos, iria achar?

Mas e se o filho pródigo, ao invés de gastar todo o dinheiro da herança em mulheres e bebidas tivesse investido num negócio, num comércio, na bolsa de valores ou qualquer coisa q o valha e conseguisse levar uma vidinha até mais ou menos no mundo? Será q ele "cairia em si" algun dia e voltaria para a casa de seu Pai?

Passei várias semanas pensando nisso e vou te dizer a q conclusão acabei de chegar. Voltaria sim. A história do filho pródigo, é antes de tudo não só uma lição de vida, dessa vida aqui na terra, do tipo "não traia seu pai" ou "saiba investir seu dinheiro, especialmente se é o único q vc tem" ou ainda "escolha seus amigos melhor". Mas não, não é nada disso. A história do filho pródigo fala na verdade de nossa jornada espiritual e nesse caminho, por mais aplicados e organizados q sejamos sempre acabamos no chiqueiro com os porcos desejando o q até os porcos ou qualquer coisa inferior tem e q nós, uma vez q saimos da casa de nosso Pai, não temos. Se formos seguir a opção de q o filho se deu bem na vida, digo q veríamos mais a frente, talvez levasse anos, décadas para isso acontecer, mas aconteceria e então veríamos um filho pra quem toda aquela boa vida não passa de um chiqueiro e pra quem um simples ato de cuidado vindo do Pai vai significar tanto quanto um prato de comida para aquele q estivesse morrendo de fome. Se o filho pródigo não passasse por td aquilo em sua própria vida, ele seguiria aquele mesmo caminho interiormente.

Bom, sobre o irmão do filho pródigo, nós já sabemos, mas para nos compararmos a ele, realmente, não podemos pensar em termos de igreja, como se alguém depois de muito aproveitar a vida resolvesse se ajoelhar pelo resto do tempo terreno com vc. Temos mesmo q imaginar esse alguém sendo chamado por Jesus somente lá no céu, onde vc tb vai estar depois de todo o tempo aqui ajoelhado. Essa pessoa, tendo passado a vida como passou e você, tendo passado a vida dentro da igreja, resistindo a todas as tentações as quais essa mesma pessoa cedeu, no mesmo lugar, recebendo a mesma recompensa, mesma recompensa. E então?

Monday, December 12, 2005

"Looking for our other halves we may have to consider the possibility that we area already whole."

Saturday, December 10, 2005

Late TV

Then she notices that the reason why she's so tired every day is not because of the late TV shows she doesn't want to miss, but because she will watch TV until she's simply too tired to reflect or think about anything before falling asleep. And she sees that the reason why she's always late is not that she overslept because she was tired, but because she dreads going one more day on with that life. And so goes on her life. She's been so out of it these past months that while trying to be her own self again she learns she's not herself anymore. And she has trouble even merely talking and finds herself measuring her every word just so the wrong information won't slip out, always on the watch-out. And she catches herself having terrible, terrible thoughts that she never thought she could have. Rejecting every hand reaching out, avoiding every contact with what she used to be. Avoiding... that's what her life is like now, always avoiding. The wrong conversations, the wrong people, the wrong places, the wrong situations, the wrong programs even the wrong commercials. And denying herself the single thought that it just might not be as bad as she thinks even though she knows that the real answer is not that it's not bad, it's just that it's all part of it. The only problem here is that she doesn't want to be a part of it anymore and what is killing her inside is that she doesn't seem to be able to free herself from it and her despair is in knowning that maybe her only ticket to the outside is lost, gone. And that loss is what she avoids every night by watching late-night shows and it's also what she dreads to live on without every morning.

Friday, October 28, 2005

Ok, eh oficial e nao q qualquer um de vcs tenha muito a ver com isso mas eu gostaria de deixar aqui bem claro q meu namoro com o mormon acabou, estou solteira de novo. De certa forma escrever isso aqui faz tudo parecer mais real e eh disso q preciso, chega de fantasiar e ter esperancas por uma coisa q nao vale a pena. Mas tambem isso eh tudo q vou falar sobre o assunto ate porque a historia eh muito longa e vcs morreriam de tedio lendo um diario de adolescente e eu morreria de tedio de escreve-lo.

Mas outras novidades, mudei de trabalho, agora ao inves de atender telefone para marketing, atendo para uma pequena empresa de um amigo da familia. O q eh bem melhor em vista de q ninguem grita comigo e sao bem menos telefonemas. Chato eh q passo muito tempo sem fazer nada e o oscio toma conta de mim. Mas tem suas vantagens. No escritorio de cima tem um escritorio de advertisement de filmes pornos e eh divertido ve-los subindo e descendo as escadas como materias bem escondido e as vezes rindo. Ah, tambem tem um velhinho na sala ao lado q nao vem pro escritorio sem o doogie, seu cachorro, q eh praticamente um cao treinado pra pedir comida, nao posso abrir nada aqui.

E por hoje eh so, pq eu to muito desanimada.

Friday, October 14, 2005

Eu tenho UM comentario sobre a politica brasileira atual. A unica coisa errada (por "errada", entenda-se "diferente dos outros") que o PT fez foi ser pego. Foram feito criancas que nao contentes em roubar apenas o primeiro doce e sair por cima, gulosos meteram a mao no tacho e se queimaram e ainda por cima nao souberam esconder a lambanca. O resto e filme ja rodado.

Eu tenho andado extremamente entediada porque tudo parece simplesmente se repetir. Ja vi esse filme, ja sei o fim da estoria, please spare me the boredom. Novidades? Sim, muitas, pra quem nao vive dentro de minha cabeca, porque aqui dentro tudo isso ja se passou bilhoes de vezes e nada e novo. Ah se alguem pudesse compreender a dimensao em q eu vivo, e como se as coisas acontecessem la antes de se materializarem aqui, nada aqui e espontaneo, tudo e pre-destinado, pre-ordenado, pre-visto. Eh cansativo sequer falar, entao nao me pecam maiores explicacoes.

Eu ando extremamente triste tambem, e nao se preocupem, isso passa, tudo passa, certo? Ando triste porque tudo vai de acordo com o q eu imaginei. Apesar de nao estar surpresa, estou triste porque as pessoas ja nao me surpreendem mais.

Eu quero algo diferente. Talvez por eu me sentir diferente, talvez porque eu ter, de fato, mudado. I don't fit in anymore, because I don't want to. Cansei do ciclo vicioso, ja me prendeu por muito tempo, agora so Deus sabe. Esse proximo ano, finalmente, verdadeiramente, vai ser um ano novo, eu espero.

Tuesday, September 13, 2005

Falando de coisa q nao se sabe...

"Honesty is important to love."
"No, honesty is impotant to a relationship, love doesn't care about honesty."
"What does it care about?"
"Itself"

Eu estava falando outro dia desses que eu nao sei o que leva as pessoas a amarem alguem, mas eu estou certa que nao e nada que elas pensam ser. Nao e carater, nem honestidade, nem sinceridade, nem nenhuma qualidade, porque se assim fosse, mal-feitores nao seriam amados; e nem por isso vemos seus companheiros abandonando-os quando fazem algo ruim, pelo contrario, ficam com eles ate o fim. Se qualidade fosse prerrogativa pra amor, os poucos homens e mulheres bons deste mundo teriam uma fila de espera nas suas portas e nao eh assim q acontece, as vezes ate parece o contrario.

A resposta mais plausivel q eu encontro e a casualidade. Por um acaso vc nasce naquela familia e pronto, voce ama seus pais, irmaos, avos e o pacote todo. Ou a pessoa esta ali, fazendo nada e pimba, ve o outro e pronto. Para falar como minha avo: "Nao importa se eh preto ou branco, baixo ou alto, gordo ou magro" ta ali, naquela hora e isto e tudo o q importa. E um sentimento caprichoso q nao esta nem ai para os envolvidos.

Mas pra ficar uma coisa mais romantica eu deixo ainda outra frase:

"Nos nao amamos pelas qualidades dos outros, nos amamos seus defeitos."

Wednesday, August 24, 2005

E pensar que tudo o que eu queria da minha vida era vive-la... que pecado! Sua vida nao e sua, a minha nao e minha, nada e de ninguem, tudo e dos outros.

E eu que so queria ser deixada quieta, no meu canto, sem me meter em confusao… que ideia! De onde essa menina tira essas ideias absurdas? Viver em paz? Ainda mais a propria vida? E sem ninguem se meter? Menina doida…

Entao me chega alguem, um dia desses, falando bem vagamente para ninguem se reconhecer e ficar ofendido, e me diz algo a ver com o estranhissimo fato de que eu ando sim, evitando ficar muito perto dos outros, porque eu nao era assim. Eu era influencia, agora me parece que sou influenciada. E disse tambem que Deus me perdoa por tudo, cheguei perto de perguntar se Deus o perdoa tambem por estar sequer insinuando qualquer coisa sobre minha pessoa sem saber, ou pior, simplesmente ignorando os fatos. E se Deus perdoava tambem as pessoas a quem eu influenciei ou as que se deixaram influenciar por mim, pobre mortal que sou. Esse alguem lamentava tambem que eu nao vou mais sequer pra escola dominical, sempre apontando que Deus nao se importa com meu passado, nem os irmaos e que eu seria sempre bem vinda nao importa o que tivesse feito. Sem querer comentar de novo nas insinuacoes sequer em pensamento, pensava ca com meus botoes que se ele fizesse uma fogueira santa com aquelas revistas com que eles pretendem ensinar algo ate que eu pensaria no caso de voltar ja que sentem tanto minha falta.

Eu acho impressionante a capacidade das pessoas de se cegarem e se recusarem a ver o que realmente esta acontecendo. Que nao e so uma menina se rebelando sem causa. Que o problema nao e o ponto isolado mas tudo o mais q o cerca. Porque que todo mundo tem que se importar e se meter no que nao e chamado? Ficam cuidando da vida dos outros enquanto a deles proprios esta apodrecendo.