Estadao.com.br Jornal da Tarde Agência Estado Radio Eldorado AM Radio Eldorado FM Listao.com.br Zap.com.br  
Estadao.com.br
   
  Busca local   Listão.com.br
Classificados Autos Classificados Oportunidades Classificados Imóveis Classificados Empregos

Classificados ZAP
ZAP VeículosZAP Imóveis
ZAP EmpregosZAP Mix
Cadastre seu currículo grátis!

 
   Vida Digital
01 de fevereiro de 2006 - 11:55

Racismo na internet chega à Justiça
Em Brasília, estudante é processado por escrever textos contra negros no site de relacionamentos Orkut,

Lisandra Paraguassú

Brasília - Corre na Justiça de Brasília um dos primeiros processos contra racismo virtual do País. O estudante Marcelo Valle Silveira Mello, de 20 anos, foi denunciado pelo Ministério Público do Distrito Federal por ter postado mensagens ofensivas e agressivas aos negros no site de relacionamentos Orkut, em uma comunidade que debatia as cotas para negros nas universidades federais.

Na comunidade, em três mensagens, o estudante chama os negros de "macacos burros", "subdesenvolvidos", "urubus" e "ladrões", entre outras coisas.

Mello estuda Letras na Universidade de Brasília (UnB) - uma das primeiras a adotar cotas específicas para negros, sem levar em conta condição social - e foi denunciado ao Ministério Público de São Paulo por uma outra estudante, que viu e copiou as mensagens. "Depois da investigação, os promotores de São Paulo encaminharam para cá a denúncia, já que o acusado é de Brasília", explicou o promotor Marcos Antônio Julião.

De acordo com Julião, não há qualquer dúvida sobre a autoria das mensagens. "Não há dúvidas de que ele é o autor. Ele não procurou se ocultar no início", disse o promotor. Mello já foi denunciado pelo MP por três crimes de racismo - já que postou mensagens diferentes em três dias seguidos - e deveria ter sido ouvido no último dia 23.

No entanto, por comum acordo entre o MP e a defesa, foi definido que o estudante passará por um exame de insanidade. "Não é uma manobra protelatória. É uma necessidade para que seja extirpada qualquer dúvida sobre a sanidade mental do rapaz", disse Julião. O processo foi suspenso por 45 dias até que o exame seja feito e saia o resultado.

Se considerado culpado, Mello pode ser condenado de dois a cinco anos de prisão, mais multa. O advogado do estudante, Pedro Raphael Fonseca, não foi encontrado para comentar o caso. Em seu escritório, em Brasília, a informação era de que ele estava viajando.

Além da comunidade de que Mello participava, há outras com orientação explicitamente racista, como a "Elimine a Raça Negra". Apesar de ter sido denunciada aos gerenciadores do site, a página ainda está ativa, mas apenas com um membro, seu criador. O Ministério Público de São Paulo tem investigado o Orkut para denunciar casos de racismo e apologia das drogas.

 

  Copyright © 2007 Grupo Estado. Todos os direitos reservados.      » fale conosco    » anuncie aqui