Teve cheiro a novela esta gala Superstar, protagonizada pelos Seniores, que teve a emoção que já caracteriza as noites de Domingo, e alguns deslizes que contribuíram para aumentar e intensificar os nervos que começam agora a aflorar.

A Família Feu foi a escolhida do júri, ao passo que a Correia foi a mais votada pelo público, depois de terem sido nomeados na passada semana. As Famílias Araújo e Pedreira foram as nomeadas para ir a votos esta semana.

Fernando Pereira, como de costume, abriu o espectáculo e cantou Ricky Martin com a energia que lhe é reconhecida. De tal forma que, perante a evidente rouquidão da nossa Superestrela, Nelson afirmou: «Deste uma prova que, muitas vezes, ser artista é fazer sacrifícios.»

Seguiu-se «Eu sei», interpretado por Fernando Antunes, que agradou o júri pela versão portuguesa e muito pessoal deste tema com sotaque brasileiro. A este propósito, Nelson Rosado referiu que a música «não é fácil e apesar de no início ter comido um bocado da letra, mesmo com os nervos, esteve afinado e aguentou-se muito bem.»

Apesar de não conhecer o tema da novela da SIC «Chiquititas», Nuno Cardoso esteve lindamente na interpretação. Segundo Tozé Brito, o Nuno «é um artista. Invejo o teu à- vontade em palco. Gostava de ter sido assim quando tocava. Cantaste muito bem, muito afinado. Parabéns!»

A Sénior da família escolhida pelo público na passada semana, Ana Vasconcelos, interpretou «Soy loco por ti América», originalmente cantado por Ivete Sangalo, e deu um toque de salero a esta gala das novelas. Clara de Sousa gostou do que viu e ouviu: «Foi uma actuação surpreendente.»

Ana Feu surpreendeu tudo e todos com a sua actuação de «Se quiser». E de tal maneira foi que Clara de Sousa usou apenas uma palavra para a descrever: «Brutal!»

O primeiro deslize da noite veio com Tomás Araújo que se deixou levar pelos nervos e se esqueceu da letra da canção Jura, de Rui Veloso. Foi um choque para todos mas Nelson desdramatizou: «vamos esperar por nova oportunidade. Nada está perdido!»

Paulo Pedreira, talvez influenciado pelos nervos da actuação anterior, também saltou alguns versos da música Roque Santeiro, da novela com o mesmo nome. Clara de Sousa foi muito coerente: «Esta noite não gostei de o ouvir cantar. Para usar uma frase sua, seja o que Deus quiser.»

Susana Azevedo, ao interpretar «Vestido Azul» da novela Floribela, também não arrancou aplausos do júri. A este respeito, Nelson afirmou: «Estamos numa fase do concurso que não admite falhas. Voltei a sentir alguma insegurança e falta de consistência. Vai ter que trabalhar mais.»

A alegria voltou a gala com «Chocolate e Pimenta», da novela com o mesmo nome, interpretada por Júlio Lourenço, que agradou a Tozé Brito: «Esteve afinado, participou na coreografia, gostei muito.»

A «Gabriela» de Isabel Bernardo foi, no entender de Sérgio, «uma actuação doce, que era o que a canção pedia.»

Esta terceira gala fechou em beleza com Augusto Correia a cantar «Porquê», da novela Vingança, interpretada pelos Anjos, e a arrancar dos maiores elogios da noite. De tal forma que Sérgio não se coibiu de afirmar que «conseguiu transmitir o que eu sinto quando canto esta canção.»