Aqualtune

Princesa do Reino do Congo, Aqualtume foi escravizada juntamente com seu exército de 10 mil guerreiros  após  derrota do mesmo em uma luta entre reinos africanos.  

A bordo de um navio negreiro foi trazida para o  Brasil, chegando ao  Porto de Recife. Aqui foi comprada como escrava reprodutora e levada para região de Porto Calvo, no sul de Pernambuco.

Lá conheceu e fez parte das histórias de resistência dos negros na escravidão, conhecendo então a trajetória de Palmares, um dos principais Quilombos negros durante o período escravocrata. Aqualtune organizou uma fuga junto com outros escravos para o quilombo, onde teve sua ascendência reconhecida, recebendo, então, o governo de um dos territórios quilombolas, onde as tradições africanas eram mantidas.

A princiesa, pertencente a família de Ganga Zumba, de acordo com a historiografia teria sido avó de Zumbi , sendo esse gerado por uma de suas filhas. Em uma das guerras comandadas pelos paulistas para a destruição de Palmares, a aldeia de Aqualtune, que já estava idosa, foi queimada. Não se sabe ao certo a data de sua morte.

 Fontes:
- Caderno de Formação do MNU - Movimento Negro Unificado.
- Dicionário Mulheres do brasil - De 1500 até a atualidade biográfico e ilustrado. Jorge Zahar Editor, 2000.

Deixe um comentário