Hebe Camargo faz 80 anos e ganha homenagem

Por: Aline Cebalos

Foto: Divulgação

16/02/2009 | 15:46

Prestes a completar 80 anos de vida, no dia 8 de março próximo, Hebe Camargo deve ganhar uma homenagem e tanto! O Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo está com o projeto de fazer uma exposição para a diva da televisão brasileira.

Mais que merecido, não?!

Segundo a assessoria de imprensa do museu, ainda não há detalhes do projeto nem datas para que a exposição se realize, mas os preparativos estão em pauta.

“Ainda não temos mais informações. A produção do MIS está em contato com a produção da Hebe, mas essa vontade de homenageá-la existe sim”, garante a O Fuxico.

Procurado pelo site O Fuxico, o empresário e sobrinho da apresentadora, Cláudio Pessutti, declarou que ainda não recebeu nenhum comunicado do museu.

História Longa de Sucesso na TV

Hebe Camargo nasceu em Taubaté, interior paulista, em 8 de março de 1929.

É filha de Ester e Fego Camargo, violinista na época do cinema mudo. A história da vida de Hebe Camargo está ligada diretamente à história da implantação da televisão no Brasil.

Na década de 1940, Hebe formou, com a irmã Estela, a dupla caipira Rosalinda e Florisbela. Seguiu com apresentações de sambas e boleros em boates, quando abandonou a carreira musical para se dedicar mais ao rádio e à televisão.

Só para se ter idéia do tempo que a artista tem de tevê, ela estava no grupo que foi ao porto da cidade de Santos buscar os primeiros equipamentos de televisão, para a formação da primeira rede brasileira: a TV Tupi. Hebe foi convidada por Assis Chateaubriand para participar da primeira transmissão ao vivo da televisão brasileira, no bairro do Sumaré, em São Paulo, em 1950. No primeiro dia de transmissões da TV Tupi, Hebe Camargo deveria cantar, logo no início das transmissões, o Hino da Televisão, mas alegou estar doente e faltou ao evento, sendo substituída por Lolita Rodrigues.

O Rancho Alegre (1950) foi um dos primeiros programas em que Hebe participou na TV Tupi, Canal 3, de São Paulo: fez um dueto com o cantor Ivon Curi, sentada em um balanço de parquinho infantil. Essas imagens estão gravadas em filme e são consideradas relíquias da televisão brasileira, uma vez que o videotape ainda não existia e, na época, não se guardava a programação em acervos, como atualmente.

Em 1957, Hebe mudou radicalmente o seu visual, de cabelos pretos para loiros, e começou a apresentar o programa de televisão O Mundo É das Mulheres, com direção e produção do então galã Walter Forster, na TV Paulista, Canal 5, antecessora da Rede Globo. 

A partir daí, teve um impulso na sua carreira televisiva como apresentadora. Estreou na TV Continental, emissora de tevê carioca, com os programas Hebe Comanda o Espetáculo e O Mundo É das Mulheres.

Em 10 de abril de 1966, foi ao ar, pela primeira vez, o programa dominical de Hebe Camargo, pela TV Record (Canal 7 de São Paulo, atual Rede Record), O programa a consagrou como entrevistadora e ela se tornou líder absoluta de audiência, acompanhada do músico Caçulinha e seu Regional.

Durante a Jovem Guarda, Hebe deu espaço a novos talentos, como Roberto Carlos, Martinha, Wanderléa e Ronnie Von, a quem apelidou de Príncipe.

Logo depois, a apresentadora Cidinha Campos veio ajudá-la nas entrevistas. Hebe também arranjava tempo para o seu programa diário na Jovem Pan - Rádio Panamericana.

A loiruda já passou por quase todas as emissoras de tevê do Brasil, entre elas a Record e a Bandeirantes, nas décadas de 1970 e 1980.

Desde 1986, Hebe está no SBT, onde já apresentou três atrações: o Programa Hebe, que ainda está no ar, Hebe por Elas e Fora do Ar.

Fonte: Wikipédia

Shopping