A história da Azul

Em 27 de março de 2008, David Neeleman anunciou que o Brasil ganharia uma nova empresa aérea. Naquela ocasião, o empresário apresentou em São Paulo os planos para constituir não apenas uma empresa nova, como uma nova empresa. Nova na maneira de encarar o transporte aéreo. Nova ao encomendar aeronaves mais confortáveis, avançadas, desenhadas e fabricadas - com muito orgulho - no Brasil: os moderníssimos E-Jets da Embraer. E a novidade chegou logo neste primeiro momento ao convidar o brasileiro a participar da escolha do nome da companhia.

Em 28 de maio de 2008, já com nome Azul Linhas Aéreas Brasileiras definido, foi apresentada sua identidade corporativa. O mapa do Brasil, estampado na cauda das aeronaves, simboliza o desejo de servir, de aproximar e apresentar aos brasileiros, sem escalas, uma nova fase na história do transporte aéreo do país.

Olho: Até 2012, a companhia deverá servir as principais cidades brasileiras, com uma frota de jatos Embraer 190 e Embraer 195.

Em 17 de setembro de 2008, data do batismo da primeira aeronave da empresa - o Embraer 190, chamado "O Rio de Janeiro Continua Azul" - David Neeleman anunciou que, com o início das operações antecipado para dezembro de 2008, a companhia ganhou ainda mais apoio de seus investidores. A Azul contabilizou 200 milhões de dólares para começar a operar no Brasil. Desta forma tornou-se a companhia mais capitalizada (em sua fundação) da história da aviação mundial. Foram encomendadas 42 aeronaves e outras 36 em opção de compra, todas da Embraer. O valor total do negócio pode chegar a US$ 3 bilhões, caso todas as opções de compra se confirmem. Ainda em virtude de acelerar sua entrada no mercado brasileiro, a Azul arrendou duas aeronaves Embraer 190 nos Estados Unidos, utilizadas para treinamento e aperfeiçoamento de pilotos e comissários de bordo.

A entrega da primeira aeronave nova de fábrica ocorreu em 11 de dezembro de 2008 e foi batizada “Tudo Azul”. No dia 15 de dezembro, dois voos inaugurais foram realizados. O primeiro, AD 4064, decolou de Viracopos, Campinas, com destino a Salvador, Bahia. O segundo, AD4062, uniu Campinas a Porto Alegre. Nas semanas seguintes, o número de voos entre estas cidades foi gradativamente aumentado, devido a chegada de novas aeronaves.

Em janeiro, entraram em operação as rotas Campinas-Vitória e Campinas-Curitiba, permitindo também a conexão entre as demais cidades, com escala em Campinas. Depois, integraram a malha os seguintes destinos: Recife, Rio de Janeiro, Manaus, Fortaleza e Navegantes.

Hoje a companhia conta com 9 aeronaves e ao longo de 2009 receberá um novo avião por mês, chegando a 14 aeronaves em dezembro.

O planejamento de frota da companhia prevê a entrega de novas aeronaves ao longo de três anos, chegando a 42 unidades no final de 2011 e 78 ao final de 2013.

"Conheça a história de David Neeleman"

 

Nossa História

Nossa Frota

Você Escolhe

Imprensa