Formulário de Busca

Flecha no peito não mata curiosidade

Qua, 10/06/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

Texto do repórter Caio Cavechini, do Profissão Repórter, sobre o homem que teve contato com o índio isolado que vive sozinho na floresta de Rondônia.

Celson

Quem vai comprar carne no mercado da distante Alta Floresta D`Oeste, Rondônia, não imagina a história que se esconde do outro lado do balcão. É claro que num lugar como esse, onde muita gente chegou há 20 anos com uma mão na frente e outra atrás para procurar riqueza no meio de um mato sem fim, histórias estão em toda parte. E circulam naturalmente, na garupa das motocicletas e nos bancos da rodoviária. Mas a história de Celson, o açougueiro, ele não gosta muito de contar.

Talvez seja por desconfiança do homem branco, para os quais serve diariamente quilos de bifes de todo tipo. “Pra quem se diz aculturado, o branco é falso pra porra”, diz, comparando. “O índio, não. Se ele gostou de você vai gostar sempre, se não gostou, nunca vai gostar”.

E mesmo sabendo que certas posições são definitivas, Celson guarda com brilho nos olhos a esperança de fazer amizade com o índio que lançou uma flecha e quase lhe tirou a vida. “Quem sabe…”, e suspira. A flecha entrou direto no peito, desviou na costela e por pouco não atingiu o coração. A cicatriz está lá até hoje, debaixo do avental do açougue.

Celson é um ex-funcionário da Funai que tentou chegar perto demais do “índio do buraco”. Como sabíamos que dificilmente encontraríamos o tal índio misterioso, começamos a nossa viagem por Alta Floresta D`Oeste para conhecer o índio por tabela. Mas com o “índio do buraco”, quanto mais você cava, mais perguntas aparecem.

Celson

No surrado álbum de fotos do açougueiro, está lá Celson posando dentro do buraco que o índio cava no seu território. Está lá Celson posando no acampamento, na noite anterior da flechada. No quarto, três ou quatro flechas que ele guarda de recordação, embora só tenha pensado em correr na hora que tudo aconteceu. “Cem gramas de medo mata dois quilos de coragem”, diz, no linguajar das linguiças e bistecas. Só conseguiu chegar no hospital 40 horas depois, de tão longe que estava.

Celson

Da vida no mato, procurando sinais de homens que talvez nunca venha a conhecer, Celson tem saudades. Quando aparecemos lá, ele ficou com uma pontinha de vontade de ir com a gente. Mas as obrigações cotidianas na distante Alta Floresta D`Oeste falaram mais alto.

“Vocês vão com o Altair? Então tudo bem, vocês vão com o cara certo”… e se despediu.

Mais informações sobre o trabalho do documentarista Vincent Carelli no site
www.videonasaldeias.org.br

Acesse o site do Profissão Repórter

Pesquisadores do Inpa analisam EIA-RIMA da BR-319

Sex, 05/06/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

Em artigo para o Globo Amazônia, os pesquisadores Philip Fearnside e Paulo Maurício Lima de Alencastro Graça, ambos do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) fazem uma análise do estudo de impacto ambiental feito para a obra de recuperação da BR-319 (Porto Velho-Manaus), prevista no PAC e alvo de grande polêmica.

A estrada tem aproximadamente metade de seus 800 quilômetros tão deteriorados que se tornou intransitável. Se recuperada, a via vai devolver a Manaus sua conexão por terra com o centro-sul do país. No entanto, segundo ambientalistas, pode abrir uma nova frente de desmatamento no coração da Amazônia.

“A proposta reabertura da rodovia BR-319, uma estrada abandonada há mais de 20 anos, facilitaria em muito o movimento de atores do arco de desmatamento, inclusive grileiros (apropriadores ilegais de grandes áreas de terra pública) e de sem terras”, alertam os autores do artigo.

“Nenhum estudo de viabilidade existe para a BR-319. Um estudo de viabilidade consiste em uma estimativa detalhada dos custos e benefícios financeiros de um projeto proposto”, criticam.

Philip Fearnside, um dos mais renomados pesquisadores da Amazônia, vai estrear em breve uma no coluna no Globo Amazônia.

Para ler o artigo completo clique aqui.

Mande sua pergunta para o diretor do Greenpeace no Brasil

Seg, 01/06/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

A ONG mundial Greenpeace é conhecida pela combatividade de seus ativistas, e na Amazônia não é diferente. Eles já enfrentaram sojicultores enfurecidos, tentaram barrar a o funcionamento de um porto, denunciaram a venda de madeira ilegal para a Europa e mostraram o funcionamento de um esquema de venda de terras no Pará.

Mas o que fez o Greenpeace vir para o Brasil? Qual é o futuro que seus membros sonham para a Amazônia?

Esta é a sua chance de perguntar. Na semana do dia 08 de junho, o Globo Amazônia entrevista o diretor executivo do Greenpeace no Brasil, Marcelo Furtado, e as perguntas serão enviadas pelos leitores do portal.

Para participar, mande sua pergunta para o e-mail globoamazonia@globo.com ou preencha o formulário de comentários.

Ideli agradece aos ‘resistentes’ e dá vigília por encerrada

Qui, 14/05/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

Após a leitura de um poema pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP), a senadora Ideli Salvatti (PT-SC), que comandou a vigília pela Amazônia, agradece aos ‘resistentes’ que ficaram no Senado até as 2h00 desta quinta-feira (14) e passa a palavra a Victor Fasano e Christiane Torloni para que façam suas considerações de despedida. Terminada a sessão, o Globo Amazônia encerra também sua cobertura ao vivo.

Sustentabilidade no Amazonas e alternativas de transporte

Qui, 14/05/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

Após a fala da secretária de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, Nádia Ferreira, que apresenta as iniciativas de conservação promovidas pelo governo de seu estado, é dado por encerrado o último painel de debates da noite.

Ainda tem a palavra o representante da Associação Preserve Amazônia, Marcos Mariani, que defende a adoção de modais de transporte alternativos ao rodoviário na Amazônia.

PFCA: madeira certificada é alternativa sustentável para a economia amazônica

Qui, 14/05/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

Andresa Dias, representante da Associação dos Produtores Florestais Certificados na Amazônia (PFCA) defende a produção certificada, ou seja, a extração de madeira de madeira controlada e não-predatória como alternativa sustentável para a economia da Amazônia. Segundo a representante, este tipo de atividade beneficia também as comunidades locais, que podem trabalhar nos manejos florestais após passarem por capacitação profissional.

Imazon: pecuária na Amazônia precisa ser mais produtiva

Qui, 14/05/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

Paulo Barreto, representante da ONG Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) usa os 45 milhões de protestos registrados pelos internautas por meio do Globo Amazônia como exemplo de que os brasileiros se opõem à devastação. No entanto, ele destaca, há forças contrárias a isso e o desmatamento continua.

Segundo Barreto, a melhoria da produtividade agrícola, em especial da pecuária, é fundamental para diminuir a pressão sobre a floresta.

O pesquisador do Imazon argumenta que a proposta de ceder popriedades de até 1.500 hectares como propõe a Medida Provisória 458, em votação no Congresso, estimula a chegada de mais posseiros. O uso da terra não pode ser gratuito, defende.

Brasil precisa criar ‘ciência da floresta’, defende Carlos Nobre, do Inpe

Qui, 14/05/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

Carlos Nobre, cientista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e colunista do Globo Amazônia alerta que a Amazônia, assim como todo o planeta, tem sido afetada pelas mudanças climáticas. Segundo o pesquisador, os estudos atuais apontam que se a região perder 40% de sua cobertura florestal (17% já se foram) e sua temperatura média subir 3,5 graus centígrados, será atingido um nível de degradação sem retorno - a vegetação jamais se recuperará e o ecossistema ficará definitivamente desfigurado.

“Não nos enxergamos como um povo tropical”, diz o cientista. Segundo Nobre, os brasileiros ainda se sentem europeus. A sociedade precisa se adaptar e, como explica o cientista, não há país tropical desenvolvido para ser imitado. O Brasil tem a oportunidade histórica de “inventar” seu desenvolvimento, o que só será atingido por meio de uma “revolução científica e tecnológica”, com a criação de uma “ciência da floresta”.

Fátima Cleide cita uma das reservas mais destruídas da Amazônia

Qua, 13/05/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

A senadora Fátima Cleide (PT-RO) diz que Rondônia está em alerta e chama atenção para a situação da Foresta Nacional do Bom Futuro, que foi desmatada em grande proporção e onde vivem mais de 3 mil pessoas. A senadora elogia a iniciativa do governo federal de fazer uma desocupação gradual e negociada da reserva. Ela critica o governador de seu estado e outros políticos que, segundo ela, incitam os moradores da unidade de conservação a se oporem à saída. Leia mais sobre a descoupação da Floresta Nacional do Bom Futuro.

Representante de seringueiros pede que Lula rejeite projetos prejudiciais à Amazônia

Qua, 13/05/09
por Globo Amazônia |
categoria Uncategorized

Júlio Barbosa, companheiro de luta de Chico Mendes e vice-presidente do Conselho Nacional de Seringueiros diz esperar que a vigília desta quatra-feira (13) sensibilize o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que não subscreva nada que prejudique o equilíbrio natural da Amazônia.


Formulário de Busca


2000-2009 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade