SERES - regressar ao ínicio

VIH

1.8.1 | Sobre VIH

BÁSICO VIH

O que significa VIH? VIH e SIDA são a mesma coisa?

VIH significa Vírus da Imunodeficiência Humana. Este vírus ao entrar no nosso corpo infecta e destrói as células de defesa do corpo. Se não existir um tratamento atempado pode causar, mais cedo ou mais tarde a doença - Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA). A SIDA resulta da infecção pelo VIH. 

Actualmente, com as diversas terapias antirretrovíricas de combinação, as pessoas infectadas pelo VIH (seropositivas) podem usufruir de uma vida prolongada em vários anos.

O que significa seronegativo? E seropositivo?
O resultado negativo indica que, até àquele momento, a pessoa não apresenta anticorpos contra o VIH, detectáveis no exame. Deste modo a pessoa é seronegativa ao VIH.

Se houver uma situação de exposição de risco ao vírus da SIDA o teste de despistagem deve ser repetido após 6 a 8 semanas (período de janela), e durante esse período deve evitar a exposição aos riscos de infecção. Este período, de 6 a 8 semanas, é o tempo que o corpo leva para produzir os anticorpos após a infecção. O teste apenas detecta a existência de anticorpos contra o VIH, não oferece imunidade contra a doença.

O resultado positivo indica que a pessoa está infectada pelo VIH e que pode transmitir este vírus a outras pessoas. Um teste positivo significa que a pessoa é portadora do VIH ou seropositiva (sero+).

O que significa anti-retroviral?
No tratamento contra o VIH é utilizada uma terapia combinada de medicamentos. Estes medicamentos tomam o nome de anti-retrovirais ou antirretrovíricos.

Quanto tempo sobrevive o VIH em ambiente externo?
O vírus da imunodeficiência humana (VIH) é bastante sensível ao meio externo. Estima-se que possa viver cerca de uma hora fora do organismo humano. Graças a uma variedade de agentes físicos (calor, por exemplo) e químicos (lixívia, álcool, água oxigenada) pode tornar-se rapidamente inactivo.

O VIH pode ser transmitido através de lágrimas, suor, mosquito, na piscina, ou outros locais públicos?
O VIH só se transmite através de sangue, sémen, fluidos vaginais e leite materno contaminado. A forma mais comum de transmissão é através de sexo desprotegido e/ou partilha de seringas com uma pessoa portadora de VIH. O vírus também pode ser transmitido de mãe para o bebé (transmissão vertical) durante a gravidez, o parto ou amamentação se não existir acompanhamento médico.

Os fluidos corporais como as lágrimas, suor, saliva, urina, fezes não são infecciosos. Assim como não se transmite o vírus através de um contacto social, nos espaços públicos ou partilha de bebidas/comida ou seus utensílios, etc. Os mosquitos não transmitem o VIH.

Qual o risco de contágio com instrumentos cortantes como aparelhos de barbear, brincos, alicates e piercings?
Actualmente, a maioria dos instrumentos cortantes como seringas, aparelhos para tatuagens, para colocar brincos ou piercings são descartáveis e não podem ser usados mais de uma vez. Em caso de dúvida, sugerimos que pergunte no local sobre os materiais utilizados. O risco de contaminação no contacto do sangue com a pele e mucosa oral é menor do que a exposição percutânea (injecção) porque há maior quantidade de células (CD4) susceptíveis à infecção pelo VIH na corrente sanguínea. Por outro lado, a pele e a mucosa oral estão em permanente contacto com o meio externo e com microrganismos que permitiram a existência de barreiras imunológicas e não-imunológicas que conferem um determinado grau de protecção.

A ausência de sintomas evidentes da doença exclui a possibilidade de haver infecção pelo vírus VIH?
Não. A pessoa pode estar infectada pelo VIH e não ter desenvolvido a doença (SIDA), não tendo, portanto, nenhum sintoma da doença. A SIDA propriamente dita pode levar mais de 10 anos para aparecer e manifestar os primeiros sinais e sintomas.

Quanto tempo sobrevive uma pessoa portadora de VIH?
Até ao inicio da década de 90, contrair o VIH era uma sentença de morte. Porém, com o surgimento das terapias anti-retrovirais (que são tomadas numa combinação de medicamentos) as pessoas infectadas passaram a viver mais. Essa combinação de anti-retrovirais (ARV) é capaz de manter a carga viral baixa, o que diminui os danos causados pelo VIH no organismo e aumenta o tempo de vida da pessoa infectada.
O tempo de sobrevida (ou seja, os anos de vida pós-infecção) é indefinido e varia de pessoa para pessoa. Por exemplo algumas pessoas começaram a usar os ARV em meados dos anos noventa e ainda hoje desfrutam de boa saúde. Outras apresentam complicações mais cedo e têm reacções adversas aos medicamentos. Existem, ainda, casos de pessoas que, mesmo com os anti-retrovirais, têm infecções oportunistas (infecções que se instalam num momento de fragilidade do sistema imunológico).

Qual o procedimento adequado para uma grávida seropositiva ao VIH?
Iniciar as consultas e cuidados pré-natais tão logo se aperceba da sua gestação; usar terapia anti-retroviral segundo as orientações da sua especialista em VIH, realizar os exames para avaliação de sua imunidade (exame de CD4) e da quantidade de vírus (carga viral) em circulação em seu organismo, ser submetida ao tipo de parto segundo as recomendações existentes, usar o aleitamento artificial.

Diferenças entre VIH1 e VIH2
Ambos são Vírus da Imunodeficiência Humana capazes de provocar a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida e com formas de contágio similares. Contudo o VIH1 é mais “agressivo”, sendo mais rápido na destruição do sistema imunológico. A evolução da doença é mais rápida nos doentes com VIH1 comparativamente aos doentes com VIH2. O período assintomático de infecção é, em média, de 10 anos para o VIH1 e de 30 anos para o VIH2. O VIH1 transmite-se mais facilmente que o VIH2. No Mundo, existem muito mais pessoas infectadas pelo VIH1 do que pelo VIH2. Por fim o VIH1 responde melhor e de forma mais previsível aos anti-retrovirais. Alguns dos medicamentos disponíveis são eficazes contra o VIH1 mas não contra o VIH2.