Guia de serviços Sobre o Portal Links      
 
-Sobre a violência contra a
mulher
-Campanhas
-Dados e pesquisas
-Artigos assinados
-Textos e reportagens
-Notícias
-Caso Pimenta Neves
-Legislação
-Conferências e convenções
-Políticas públicas
-Organizações não-
governamentais
-Núcleos de estudos em universidades
-Guias de serviços
-Datas importantes
-Sugestões de pautas
-Banco de fontes
-Cuidados ao entrevistar
-Quem diz e o que se diz
-Links de interesse

 
   


Realização

 

 

Se você é uma mulher que está vivendo uma situação de violência e quer romper com o silêncio,

 Central de Atendimento à Mulher

 De qualquer lugar do Brasil e a qualquer hora, você pode ligar para denunciar a violência ou pedir orientações.
 ou

 Acesse o Guia de Serviços que atendem mulheres em situação de violência
 
Veja mais delegacias, centros de referência e organizações de atendimento à mulher

 

 

 

 

 
  > Capa > Guia de serviços  


Se você é mulher e está vivendo uma situação de violência
Disque 180 - Central de Atendimento à Mulher
Você pode ligar de qualquer lugar do Brasil. A ligação é gratuita.

Guia de serviços

Serviços de atendimento a mulheres que vivem situações de violência
No item found


Para saber de outros serviços nos Estados, acesse o site da SPM

Serviços públicos que atendem vítimas de violência

Delegacias,orientação jurídica e psicossocial e atendimento em hospitais em São Paulo
Página do Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde com dados de contato de delegacias, serviços de orientação jurídica e psicossocial e serviços de atendimento a vítimas de violência em hospitais em São Paulo.

Hospitais que dão atendimento a vítimas de violência sexual e serviços de aborto legal
Página da Rhamas - Redes Humanizadas de Atendimento às Mulheres Agredidas Sexualmente com dados de contato de serviços de saúde que atendem vítimas de violência em diversos estados brasileiros.

Violência contra a mulher: um guia de defesa, orientação e apoio (em pdf)
3ª edição. Atualizada e ampliada.
Parceria entre CEPIA e CEDIM - RJ (Conselho Estadual dos Direitos da Mulher).
Organização: Leila Linhares Barsted, Jacqueline Hermann, Maria Elvira V. de Mello, Andréa Pitanguy de Romani (Cepia) e Rosana dos Santos Alcântara (Cedim).


Veja também:

Eloá, 15 anos, assassinada pelo ex-namorado
O que faltou à mídia destacar? Cruéis semelhanças

São Paulo instala primeiro Juizado Especial de Violência Contra as Mulheres

Sugestão de pautas
Como a violência doméstica contra as mulheres afeta as crianças?
Esta e outras sugestões de reportagens abordando fatos sobre a violência contra as mulheres que são pouco ou nunca tratados pela imprensa podem ser encontradas nesta seção.

 
Banco de Fontes
Se a pauta é violência contra a mulher, nesta seção você encontrará dados para contatar fontes fundamentais.
 
Quem diz e o que se diz

"A violência é tão corriqueira que muitos homens não a identificam. É uma geração que foi criada para não levar desaforo para casa."
Fernando Acosta, psicólogo.
 
"A violência não é natural. É um comportamento aprendido."
Marcos Nascimento, coordenador de projeto do Instituto Promundo.