ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Jobim discute sistemas militares na França e Rússia

Segundo o ministro, o presidente Lula aprovou as linhas da agenda de conversações, em reunião no Planalto

25 de janeiro de 2008 | 9h 08
AE - Agencia Estado

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, vai à França e à Rússia para discutir acordos de cooperação, visitar fabricantes de sistemas militares e, sobretudo, tratar do desenvolvimento do submarino nuclear de ataque. Na terça-feira, Jobim vai conhecer a base naval de Toulon e visitar um submarino atômico da frota francesa. Um dia antes, despacha com Jean Poimboeuf, o presidente do DCNS - estaleiro responsável pela construção desses navios. Brasil e França mantêm um tratado que prevê acesso a tecnologias sensíveis.

Segundo o ministro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ?aprovou as linhas da agenda de conversações?, em reunião realizada no Palácio do Planalto há três dias. Fornecedores franceses querem vender ao Brasil o submarino Scórpene, diesel-elétrico, de 1.700 toneladas, e o caça de quinta geração Rafale, capaz de voar a 2.125 km/hora transportando 8 toneladas de armas. O processo FX-2, do Comando da Aeronáutica, prevê a aquisição de até 36 supersônicos - ?a seleção, mas não a encomenda, deve sair até dezembro?, disse o ministro.

O pacote prevê a instalação na fábrica da Helibrás, em Itajubá, Minas Gerais, da linha mundial dos helicópteros Panther e de sua versão civil, o Dauphin. A empresa brasileira é controlada pela Eurocopter e a médio prazo poderia projetar um modelo próprio. Há propostas do poderoso grupo EADS, o maior complexo europeu de defesa, aeronáutica e espaço, para instalar no Rio um centro de engenharia de mísseis - inicialmente destinado à modernização da classe Exocet, do tipo ar-mar e mar-mar.

Consultas

Para Jobim, essa ?não é uma viagem de compras, mas de conhecimento e consultas?. Ainda assim, o primeiro item do roteiro é uma reunião com o banqueiro François Dossa, presidente do Societé Generale Bresil. ?Em todas as etapas a conversa será aberta, claro. Mas qualquer diálogo sobre a questão de materiais só será possível se tomar como premissa inafastável a transferência de tecnologia?, afirmou. ?Desenhado o plano estratégico, a definição dos equipamentos passará obrigatoriamente pela abertura do conhecimento. Mesmo que na opção a oferta fechada custe menos e a aberta, que represente desenvolvimento do parque industrial nacional, custe mais, vamos para a mais cara.?

Na Rússia, a partir de 1º de fevereiro, o grupo cumpre programação mais restrita, em bases e estaleiros navais. Em Moscou vai se encontrar com o vice-presidente Serguei Ivanov e com o ministro da Defesa, Anatoliy Serdyukov. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.





Tópicos: Jobim

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o @EstadaoPolitica no Twitter

"Não estudei o mensalão", diz Barroso em sabatina

  • "Não estudei o mensalão", diz Barroso em sabatina
  • Para especialista, não há epidemia de crack no Brasil
  • "Maconha pode ser a porta de saída para o crack", diz psiquiatra

Fechar

Para continuar lendo o Estadão, faça já o seu cadastro. É rápido e fácil.

Seus dados serão guardados de forma segura e não serão compartilhados.

Quero me cadastrar Sou assinante Já sou cadastrado
SOU ASSINANTE - ACESSO
Esqueci minha senha
JÁ SOU CADASTRADO

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão.

Esqueci minha senha
QUERO CRIAR MEU LOGIN

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha.

ESQUECI MINHA SENHA

QUERO ME CADASTRAR

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo.

CADASTRO REALIZADO

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail .
Clique no link fornecido e crie sua senha.


Importante!
Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail está ativado.

QUERO ME CADASTRAR

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo.