Trezentos

O início de uma multidão

Contra o Estatuto do Nascituro – mais um absurdo no Congresso

Há duas semanas, a Nospheratt me mandou um link (cuidado ao abrir, o certificado de segurança está vencido ou não vale), em que descobrimos o Projeto de Lei nº 478, de 2007, que pretende fazer história como Estatuto do Nascituro. E o LuluzinhaCamp está lançando uma blogagem coletiva contra tamanho descalabro.

Deixemos muito claro: ao participar, ninguém está apoiando o aborto. Queremos, sim, a descriminalização desta prática, que mata milhares de brasileiras todos os anos. Então, antes de seguir na leitura, convido todos para assistir este vídeo, que diz tudo a respeito do assunto e acaba com a polêmica do pró e contra.

Como estou trabalhando com a galera do Católicas pelo Direito de Decidir, ONG brasileira mais que reconhecida na defesa dos direitos das mulheres, corri para pedir mais informações. Consegui os bastidores:

Trata-se de um projeto de lei do deputado Luis Bassuma (PT-BA, atualmente no PV) e do Miguel Martini (PHS-MG). O Bassuma foi expulso do PT por suas posições contrárias ao programa do partido, porque ele é um dos mais ferozes representantes dos fundamentalistas radicais conservadores. Contrário ao aborto em qualquer caso, trabalha pra conseguir mudar a legislação atual, que já é insuficiente. A CPI que vai investigar o aborto, as ações criminais contra mulheres que abortaram (como no caso do MS), tudo isso tem por trás o Bassuma e sua turma.

O projeto de lei do estatuto do nascituro é absurdo, inclusive é ilegal e inconstitucional, mas isso não impediu que fosse aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. Para ir pra plenária, precisa passar por mais duas comissões. O que eles querem é polemizar, pois sabem que o projeto fere a Constituição, mas a idéia é fazer mídia – lembrem-se que estamos em ano de eleição – e fortalecer os que se dizem “pró-vida” (a gente os chama de pró-morte, porque as mulheres continuam morrendo).

Só pra explicar porque o PL é o fim da picada

O Projeto de Lei entende que nascituro é o ser humano concebido, mas ainda não nascido, e dispõe sobre sua proteção integral desde a concepção. Dessa forma, conforme o art. 13 do PL 478/07, a gestante que for vítima de violência sexual não poderá interromper a gravidez. Junto com os demais dispositivos da proposta normativa, o art. 13 revoga tacitamente o art. 128 do Código Penal, que dispõe sobre o aborto legal. Isso significa que o PL, sem expressar isso no corpo do texto, retira e invalida a existência e eficácia do dispositivo penal que permite o aborto terapêutico e o aborto sentimental. Deve-se pontuar que a revogação tácita é vedada na legislação brasileira, de forma que o Projeto de Lei que a realizar está violando a Lei Complementar nº 95, de 1998, e o Decreto nº 4.176, de 2002, que estabelecem normas e diretrizes para a elaboração, a redação, a alteração, a consolidação e o encaminhamento ao Presidente da República de projetos de atos normativos de competência dos órgãos do Poder Executivo Federal. Logo, o PL nº 478, de 2007, é ilegal.

O art. 13 traz ainda que o agressor será responsável por pagar pensão alimentícia até que a criança complete 18 anos, e caso não seja identificado, a obrigação recai sobre o Estado, o que seria um absurdo, a menos que se pense na descriminalização do crime de estupro, visto que, uma vez preso, não haveria como o genitor, mesmo  identificado, pagar pensão alimentícia; ou que se idealize a retomada da antiga legislação criminal, em que se previa a extinção da punição do infrator de tal violência sexual, caso a vítima se casasse com ele (redação anterior do inciso VII do art. 107 do Código Penal, revogado pela Lei nº 11.106, de 2005).

Em decorrência do art. 13, instituições e associações voltadas à defesa dos direitos da mulher apelidaram o PL de “Bolsa Estupro”, e afirmam que ele poderá ocasionar um aumento no número de processos com acusações falsas; além do aumento dos crimes de calúnia e consequente sobrecarga da máquina do Judiciário, acrescentando-se, ainda, o excessivo ônus ao Estado.

E as mães morrem

No Brasil, cerca de 70 mães morrem a cada 100 mil nascidos. Para se ter uma idéia do que esse número significa, a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera como elevados os índices que ultrapassem 20 óbitos maternos por 100 mil nascidos. Outro dado assustador: estima-se que ocorram mais de 3 mil óbitos de gestantes e puérperas anualmente.

As principais causas de morte materna no Brasil são, nesta ordem, de acordo com o Ministério da Saúde: hipertensão, hemorragia, infecção puerperal, aborto; e doenças do aparelho circulatório. Os números nos mostram que as mulheres continuam morrendo por causas que são previsíveis e perfeitamente evitáveis.

O aborto clandestino é o quarto maior responsável por morte materna no Brasil. A prática contribui com a elevada taxa de mortalidade materna porque é realizado de forma insegura, sem as mínimas condições técnicas e de higiene. De acordo com estimativas oficiais, mais de 1 milhão de mulheres se submetem anualmente ao procedimento de abortos inseguros no Brasil, dos quais perto de 400 mil terminam em internação, algumas com sequelas irreversíveis, e um número não estimado acaba em morte. O agravante é que são as mulheres já excluídas ou estigmatizadas socialmente que morrem por aborto inseguro: pobres, negras, jovens.

Isso posto, fica a convocação: escrevam! Escrevam muito. Se vocês precisarem de informações, além das notícias do Católicas, elas também mantem o blog Aborto em Debate, muito bem feito e com muita informação em todos os formatos.

Vamos bombardear os deputados federais com e-mails e telefonemas. Vamos escrever muito. Chega de bandalheira com os corpos e as vidas das mulheres brasileiras.

Post to Twitter Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to MySpace Post to Ping.fm Post to StumbleUpon

47 comentários para “Contra o Estatuto do Nascituro – mais um absurdo no Congresso”

  1.   Gato de Botas disse:

    Tenho uma idéia melhor: fechem as pernas e só abram depois de casadas. Simples assim!

  2.   Lucas disse:

    Gato de Botas, parabéns, você conseguiu escrever o comentário mais idiota que li nos últimos anos na internet. Você ao menos leu o início do texto?

  3.   LiraBellaqua disse:

    Parabéns pelo texto! Excelente.

    Gato de Botas, mulheres estupradas não tem a opção de fechar as pernas antes do casamento, nem depois, nem nunca, quanto mais evitar uma gravidez neste tipo de caso, pois as pílulas do dia seguinte não são 100% efetivas, isso no caso em que a mulher saiba como usá-la. Espero que ninguém de sua família, homem ou mulher, venha a sofrer uma experiência deste tipo, pois provavelmente ouviria algo idiota como o acima dito como apoio. Só falta vc falar que homem que sofre estupro (agora não é mais atentado violento ao pudor, é estupro mesmo) precisa aprender a não ser “viado”. Vc é preconceituoso, retrógrado e burro. Perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado.

  4.   capi /. etheriel disse:

    sobre as causas de morte materna, acrescento que seria interessante estudar as vítimas de intervenção rotineira no trabalho de parto, ignorando a saúde de cada mulher e submetendo-as a práticas intrusivas e perigosas, como a episiotomia, anestesia e cirgugia cesárea. chamo de perigosas não por terem alto risco, mas por serem consideravelmente mais arriscadas para a saúde da mãe do que o parto natural realizado em casa ou em hospital humanizado. amarradas às camas, submetidas a intervenções de rotina, as mães perdem muito em qualidade de vida e ainda aumentam seus riscos de complicações e depressões pós-parto.
    pai de primeira viagem, passei os últimos meses estudando estas intervenções e me dedicando a trabalhar para realizar o parto da minha mulher em casa (o que contou com todo o empenho dela, podem acreditar). a realidade das conseqüências de uma cultura machista sobre o corpo da mulher me aparecem maiores do que posso ver deste meu ponto de vista de homem, e ainda assim não paro de encontrar as evidências…

  5.   suely de oliveira disse:

    Esse estatuto representa um retrocesso em todas as conquistas no campo dos direitos sexuais e reprodutivos neste país. É uma violência contra as mulheres. Um absurdo. Teria muitos impropérios a dizer para estes dois parlamentares. Mas infelizmente não posso expressar com todas as letras o que penso sobre eles. É um retrato do conservadorismo crescente na Câmara dos Deputados. Bahia! Honrem a história e não elejam esses dois *&%@#. Abrazos!

  6.   Maria Lucia disse:

    Estive em Buenos Aires dia 04 de maio num painel no Senado falando sobre o avanço da direita fundamentalista e suas iniciativas como o “estatuto do nascituro” no Brasil . A Frente Nacional pela Legalização do aborto é um passo para estancar “essa hipocrisia, que dá hemorragia” como dizem as jovens da Marcha Mundial de Mulheres. Mas teremos muito trabalho pela frente para coibir esses hipócritas do Congresso Nacional. A dupla violência contra as mulheres estupradas se concretizaria com a tal da “bolsa estupro” que esses cínicos querem propor. Porque eles não tiram primeiro todas as crianças da rua ( que foram abortadas pela sociedade hipócrita) e que estão sem futuro. Cadê os responsáveis por elas? Porque não garantem uma bolsa para todas essas crianças sem futuro.
    Espero que o Congresso Uruguaio retome o seu projeto aprovado e vetado pelo presidente anterior e nos dê o exemplo latinoamericano de legalização do aborto. Em breve escreverei sobre o evento de Buenos Aires. Algumas parlamentares argertinas vão impulsionar o debate no Congresso com o projeto de legalização do aborto. Aqui no Brasil temos de correr para barrar essa iniciativa hipócrita e cínica.

  7.   Bones disse:

    É quase surreal em pleno sec 21 sob a egide de desenvolvimento social , e crescente conquista de direitos humanos e civís uma proposta tão heidonda quanto essa seja sequer pleiteada quanto mais aprovada.
    Isso é sintomatico num apais que ainda produz tacanhas ,como esses deputados e o nosso comentador gato de botas, leia ,e se informe antes de falar besteira.

  8.   Julia disse:

    E as estupradas, Gato Idiota, que não conseguem fechar as pernas mesmo querendo?
    Isso quando sobrevivem.

  9.   Armandinha disse:

    Gato de botas
    A sua mamãe é mulher???? Vc tem irmã, esposa, sobrinha, filha, neta? Se tem, e se no caso uma de elas forem estupradas, foi falta de fechar as pernas tb, santo????
    A título de curiosidade, nunca tive conjunção carnal com ninguém e me ameaçaram de me estuprar, e olha eu não ESTAVA COM A PERNAS ABERTAS, santo!!! Estavam em pé em um lugar, qdo falaram que iam cometer tal ato!!!!!
    Gostaria que vc fosse mulher!!! Deve ser algum “aborrecente” que não tem nada na cabeça!!!!!!!

  10.   Gato de Botas disse:

    Eu não tinha lido o texto, julguei que fosse outro assunto. Peço desculpas.

  11.   Serial Killer Justiceiro disse:

    Eu posso defender o aborto (pena de morte pro neném) em caso de estupro, desde que vocês concordem em defender a pena de morte pro estuprador também. Topam?

    Ah, esqueci, tem os direitos humanos, mas só pros bandidos, não pros bebês…

  12.   Camila disse:

    A questão sobre o aborto gira em torno da questão: onde começa a vida?
    Se ela começa na concepção, retirar uma vida é crime.

    No caso do art. 128, I, do CP, é “perdoado” o aborto por estupro, o que, diga-se, esqueceram de dizer não é negado pelo Estatuto, fruto de uma modificação em maio, ainda. Mas ele não deixa de ser crime, ou seja, de ser considerado uma afronta aos princípios fundamentais do nosso Estado.

    E isso acontece, independentemente de religiões ou ideologias políticas.

  13.   Alice and The Black Rabbit disse:

    Mas seu viadinho pode abrir boquinha pra chupar uma rolinha.
    Vai toma no seu***!

  14.   Marcos disse:

    Concordo integralmente com o estatuto do nascituro e parabenizo o deputado Luis Bassuma pelo seu brilhante trabalho. Fez muito bem em deixar o PT, um partido eminentemente abortista mas que não tem coragem de se declarar como tal. Conheçam o Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto http://brasilsemaborto.com.br/ O site está divulgando o nome dos candidatos comprometidos com a causa do estatuto.

  15.   Marcos disse:

    As pessoas alegam que muitas mulheres morrem em clínicas clandestinas, então que se denunciem essas clínicqas. Aposto que muitos aí têm conhecimento delas e não fazem nada…

  16.   Lucas disse:

    Olá Marcos.

    Quanto a sua opinião do estatuto do nascituro, qual seria sua opinião se sua mãe fosse estuprada por um vagabundo e engravidasse? Detalhe: o seu “irmãozinho” teria os mesmos direitos de herança que você, e o estuprador iria se “cagar” de rir da cara de vocês.

  17.   Fernando disse:

    Feminismo é um movimento gay.
    Elas odeiam a familia e odeiam mulheres que amam homens e tem total nojo de crianças.
    DIGA NÃO AO FEMINISMO

  18.   Carlos disse:

    A mulher só deve se envolver com homens que são pré aprovados pelos pais, seus parceiros devem ser selecionados a dedo pelos pais da moça, que já são conhecidos pela familia, e não deve ficar de putaria de noite nem mesmo a trabalho. Se a mulher quer sair pra ambientes como “baladas”, se envolver com 1 por semana, so dando satisfação pra si mesma, depois não sabe de onde veio o estupro? Ahh vaaaa

  19.   Juraci Cavalcante disse:

    Vocês cometeram um grande erro ao se declarar amigos e/ou favoráveis ao grupo “Católicas pelo Direito de Decidir”, na realidade apenas um braço de grupos abortistas americanos que atua no Brasil e em outros países onde o aborto (graças a Deus) ainda não é despenalizado. Deviam colocar ao alcance de seus leitores as fabulosas quantias que este grupo recebe de instituições americanas para atuar no Brasil. Se pertencem à mesma linha de pensamento com relação ao aborto, então vocês são favoráveis ao aborto. Não adianta vir com fingimento ou com hipócritas saidinhas. Se vocês acham que um ser humano, após ser gerado, não tem nenhum direito, que o digam abertamente; se vocês acham que um feto não é gente, que digam o que julgam o que é; se vocês julgam que abortar não é o mesmo que matar, então digam o que é, mas sem eufemismos, sem saidinhas hipócritas, falem abertamente de seus propósitos. Ninguém de bom senso acredita nesta fabulosa mentira de que o aborto é uma questão de “saúde pública”.Não, é uma questão criminal, pois matar é crime.

  20.   Aurélio disse:

    A mulher é violentada e que quem é condenado à pena de morte é o bebê inocente?

    Seus malditos, ignorantes e estúpidos! O aborto não resolve o trauma da mulher vítima de estupro!
    Ele só cria outro trauma pior, ela passa de vítima a assassina!

    A vida do ser humano (mesmo bebê fruto de estupro) é muito mais valiosa que um trauma, a mulher não necessita criar a criança, se não a quiser que dê para o estado após o nascimento!

    Infelizmente com abortista não há diálogo! Vocês colocam o seu prazer e seu conforto acima da vida de inocentes, isso sim é uma monstruosidade!

    Se gostam tanto do aborto, abortem-se, o mundo ficará melhor sem aberrações como vocês.

  21.   Aurélio disse:

    Por que os imbecis abortistas não olham os dados do Data SUS?

    Falam que há “milhares de mulheres morrendo” todos os anos no país em virtude de abortos provocados condições precárias.

    ISSO É MENTIRA!!!

    Olhem os dados de óbitos e verão que NÃO SÃO NEM UMA DEZENA de mulheres mortas nestas condições!

    PQP, não precisa acreditar em mim, olhem no Data SUS!

    Não são milhares, são menos de 10!

    Se o índice de mortalidade de mulheres durante a gravidez é alto no Brasil é pq não há pré-natal adequado, alimentação, educação de como se cuidar nesse período e assistência do estado!

    Bando de Burro!

  22.   Joao costa disse:

    O afeganistão é aqui, e, o próximo passo é obrigar as mulheres a usarem a BURKA para se protegerem dos estupradores

    Cambada de atrasados

  23.   Anônimo disse:

    1) O índice de mortes de mulheres por conta do aborto é uma conjectura, considerando que nenhuma mulher confessa ter tentado o aborto, porque já tem a própria consciência a culpa;
    2) A mulher sabe a consequência de fazer sexo que tem como consequência a possibilidade de gerar uma vida, sabe a consequência da prática do aborto que poderá gerar sua morte física, bem como o prejuízo psicológico de matar um filho. A única vítima nessa história é a criança, que morre inocente, sem ter o direito de decidir.
    3) “Galera Católica” com direito a decidir? Pode até ser uma galera, mas não católica crista. Pois o verdadeiro cristão não mata. Não está aqui o direito da mulher e sem o direito de uma criança que foi gerada, que tem o direito a vida. Uma criança que foi gerada por irresponsabilidade ao ponto da mãe ou o pai não assumirem. Dê a criança, mais não mate. Quantas pessoas deseja um filho e não tem, e mulheres pela fertilidade que possua mata sua cria? Não é uma questão de condenar a mulher, mais de fazê-la conhecer a vida que está dentro dela.
    A mulher ou e genitor dessa criança, gostaria de receber pena de morte por seus atos. Claro que não. Então não condene a morte, o qual eles mesmos foram produtor dessa vida.
    4) Pé-de-escada? Acaso com a aprovação do aborto as cĺinicas e as aborteiras deixarão de existir? Utopia que pensa assim.
    5) Como fica o direito dos médicos que não concordam em matar a criança, e por estarem em um plantão médico serão obrigados a praticá-los para não perder o emprego?
    6) Como ficará o direito do pai que gerou a criança, e que deseja a criança e a mãe quer matar?
    7) Sou mulher e sou muito mais feminista que estas feministas frustadas, que não defendem as próprias meninas que estão por nascer, matando-a.

    E para terminar, que tal autorização aos pais em abortar de suas vidas, filhos já crescidos, que só lhes trazem danos financeiros, sem respeito, inescrupulosos, imorais imoralidade. Aí sim, sendo você é um deles, morreria consciente do prejuízo que estava gerando na vida dos seus pais, não morreria inocente sabendo que são indesejáveis.

  24.   Anônimo disse:

    No caso da mulher que foi estrupada, deve-se deixar nascer o bebê nascer. UM CRIME NÃO JUSTICA OUTRO.

  25.   Anônimo disse:

    No caso da mulher que foi estrupada, deve-se deixar o bebê nascer. UM CRIME NÃO JUSTIFICA OUTRO.

  26.   Priscilla disse:

    Este projeto de lei é um absurdo pq?
    Responsabilizar o estuprador a pagar pensao alimenticia eh mais que justo.
    E caso nao seja identificado, esta responsabilidade ser do Estado também é muito acertado, pois ja que ele tinha o dever de cuidar da nossa seguranca e nao o fez, deve arcar com as consequencias de sua omissao.
    E o fato do estuprador estar preso nao quer dizer que ele nao tera como pagar esta pensao.
    Tem que pegar todos os bens que ele tiver e ir vendendo pra dar para o filho.
    Deveria é ser obrigado a trabalhar na cadeia pra conseguir dinheiro pra dar pro filho, e ate mesmo pra ter o que comer la dentro.
    Sem contar que hoje em dia pode pedir pensao aos avos paternos, se esse bosta tiver pais.

    Quanto as mulheres que morrem em clinicas clandestinas, elas que estao cacando isso.
    Elas que fizeram coisas para engravidar, elas tiveram a opcao de abrir as pernas, porque como o aborto em caso de estupro ainda é discriminalizado, se fosse o caso iriam em hospitais normais, com medicos capacitados.

    Eu sou mulher e sou contra o aborto, exceto se for para salvar a mae, quando estritamente necessario.
    Inconstitucional é matar criancas indefesas, que nao tem chance nenhuma de escolha.
    Inconstitucional é um ser inocente ser condenado a morte pelo crime do seu “pai”
    Inconstitucional é permitir que um crime justifique o outro.
    Inconstitucional é nao observar que o principio principal da nossa Constituicao é o direito a vida.
    Isso é Inconstitucional!!!

    Eu preferia morrer ao ser estuprada, mas se isso acontecesse comigo, a unica pessoa que eu ia culpa era o filho da $#%# que fez isso.
    Eu nao sei se eu teria forcas para olhar para aquela crianca e ver ela ficando com a cara do “pai”, mas eu nao mataria um inocente por conta do que me aconteceu.
    é o que um comentario acima disso: de vitima passaria a assassina.
    Todos tem direito a vida, e se o estuprador nao pode ser condenado a morte pelo que fez, porque uma crianca que nao fez nada pode?
    Concordo com o Estatuto! E Parabens pelos que votaram a favor!

  27.   elaine disse:

    Direito a vida dos nascituros ja!!!! Acima de qualquer direito esta o direito a vida!!! Estou na defesa das criancas que tem o direito de viver, independentemente de QUALQUER situacao!!!! Nao vou me calar!

  28.   Carlos Bussola disse:

    Em pleno século XXI e tendo idéias da barbárie! Matar um inocente sob a égide da liberdade da mulher. O aborto é crime moral !

    Quem sabe estes postulantes ao direito ao aborto venham pedir aos seus filhos (se tiverem, pois correm o risco de abortarem todos) que não aprovem a LEI DA EUTANÁSIA. Pensem!!!!

  29.   Enojado de ser Brasileiro disse:

    Depois de ler, inacreditavelmente, um monte de gente defendendo que seja obrigada outra pessoa a:

    1 – suportar uma gravidez indesejada;
    2 – correr os riscos inerentes de toda e qualquer gravidez;
    3 – deixar que um vínculo evolutivo-afetivo inevitável mas que vai enlouquecer a pessoa pro resto da vida seja estabelecido.

    E, DETALHE: Não estamos falando de permitir que alguém faça isso consigo mesmo, mas de OBRIGAR OUTREM!

    E ainda me invocar, num país como o BRASIL ainda por cima, algo da magnitude de “não se preocupe, é só dar pra alguém pra cuidar” (porque tem gente de sobra pra isso, afinal, os orfanatos no Brasil existem apenas pra sugar dinheiro porque todos estão vazios pelo jeito!!!).

    Sério, postei comentário, mas não venho mais. Quase vomitei no telcado de NOJO DE SER, SÓ POR TER NASCIDO NO MESMO PAÍS, CLASSIFICADO COMO PARTE DE UM MESMO GRUPO: NO CASO, BRASILEIRO!

    E, só pra completar: Sim, EU QUASE FUI ABORTADO! Sim, POR EXIGÊNCIA DO PAI! E NÃO, nem assim eu vou vetar à mulher o direito sobre o próprio corpo e o último poder de decisão nessa questão! Pra sermos exatos, o meu único porém é que o pai tem o direito de saber e opinar: mas não tem o direito da decisão final. Ou seja, estou sendo coerente com a minha posição, apesar de que ela poderia estar me custando estes digitadas!

    Claro, não estamos falando do caso de um estuprador.

    Mas estamos falando de todos os casos. Estamos falando de crianças de 12 anos estrupadas pelo pai e que não podem abortar o abuso que disso surge em certos países por ser contra a lei, apesar de estarem tendo hemorragias diárias e, se o “filhote de monstro” sobreviver, dificilmente as VÍTIMAS vão.

    Mal aguento ouvir essa defesa de monstruosidade de homens, quiçá de mulheres! Como se estupro fosse algo moderno! Nasceu ontem! Nasceu com a liberação feminina! É mesmo, foi isso, é isso que vocês, homens e MULHERES, estão dizendo! Então, porque não enfiam as barrigas de volta no fogão, não se protejam no sexo, morram com menos de 40 analfabetas e mães de 12 filhos, dos quais 5 sobreviveram, de novo, igualzinho como era antes????? Ah, isso vocês não querem???? Ou vocês querem isso, fazem isso, e querem ainda impor a todas as outras o mesmo???????

    E, façam-me o favor, não me invoquem religião: não preciso de muleta, não preciso de cabresto, não preciso de viseira! Fui muito bem ensinado o que é certo e o que é errado, não preciso poder ganhar um doce por me comportar bem, ou levar castigo por me comportar mal, pra saber o que é CERTO, o que é ERRADO, e fazer o CERTO!

    Sério, a segunda metade de comentários daqui me dá NOJO DE TER QUALQUER COISA EM COMUM COM O QUE FOI DITO NESSA SEGUNDA METADE! Mesmo que seja só o DNA!!!

    P.S.: não te preocupa, enquanto químico, se algum dia a minha mente se perder, eu não deixarei que um demente denigra a minha imagem: com lei ou sem lei, eu vou embora sendo eu mesmo, LÚCIDO!

  30.   Lucia Freitas disse:

    Pena que você não volta mais enojado.
    Eu, autora, parei de escrever exatamente por conta disso. Comentários assim são fundamentais. E você poderia ter parado nas razões…
    Te agradeço, penhorada, pelo seu trabalho.
    Obrigada

  31.   Jaspe disse:

    Vocês, que são anti-abortistas e a favor do estatuto do nascituro. me respondam: se vissem um incendio em uma clinica de inseminação artificial, vocês se arriscariam em entrar lá dentro pra tentar salvar os embriões congelados dentro dos tubos de ensaio? Imaginar isso seria simplesmente ridiculo!

  32.   Clodoaldo disse:

    Mais uma vez é a elite querendo impor as suas idéias. A elite a que me refiro é aquele grupo de pessoas que entendem que devemos sempre fazer o que os outros países fazem. Se o aborto é legalizado na europa e nos estados unidos, é um erro, não devemos cometer o mesmo erro. Mas tenho uma sugestão para acabar com toda essa discussão: perguntem para a população quem é contra e que é a favor do aborto. Perguntem novamente porque isso já foi feito inúmeras vezes, mas como não interessa para as tais elites, as pesquisas nunca são divulgadas. A imensa maioria da população brasileira é contra o aborto. Quando digo imensa maioria é isso mesmo: mais de 80% é contra o aborto. Querem levar para um plebiscito? duvido.. não teriam coragem. Os pró- abortistas sofreriam uma derrota humilhante. Para essas pessoas pouco importa a opinião dos demais.Querem impor a “verdade” deles.
    Um feto não é um ser humano? o que é então? um extraterrestre?
    Querem justificar,por exemplo, dizendo que deve-se permitir o aborto caso seja constatado que a criança pode nascer com alguma deficiência fisica ou mental. Só pra raciocinar: imagine que uma mulher tem um filho de 9 anos que sofre um acidente e fica tetraplégico. Os abortistas acham que essa criança deveria ser “sacrificada” assim como os criadores de cavalos fazem quando eles quebram uma pata? claro que não dirão..trata-se de uma pessoa que tem direito a vida. E aquele que ainda não nasceu? não tem direito a ela?
    O pior é que os abortistas se consideram progressitas e inteligentes e dizem que que é contra o aborto é “conservador” superado, e nos chamam até de hipócritas. Hipócrita é aquele que defende o assassinato de alguém que não tem como se defender invocando tratar-se de uma questão de saúde pública. É sim, falta de saúde mental para esses indivíduos.
    Os abortistas disseram que estão com nojo. Eu tenho muito nojo de todos eles!! Mas sinto muito mais pena do que nojo, infelizes que são!

  33.   Vinícius Soares da Silva disse:

    Esse estatuto, é um crime. As mulheres devem ter o direito de decidir. Tomara que ele não siga em frente em seu trâmite. Abraço a todas e todos.

  34.   Liana disse:

    A você que apoia o projeto, saiba das suas consequencias nefastas!

    Imagino que tenha conhecimento do Estatuto do Nascituro Lei 478/2007 em pleno teor para assim apoiá-lo, então irei direto aos questionamentos.

    Você sabia que se esse estatuto for aprovado, todas as mulheres e meninas que engravidarem de estupro serão obrigadas a ter o filho do estuprador? Imagine você, sua filha ou sobrinha, de 1
    2 anos estuprada e ainda grávida de um criminoso! Que tal sua filha ou sua irmã nesse papel?

    Ou ainda, que tal o estuprador engravidar tua mulher, e depois vc se ver obrigado a criar a criança, filha de um criminoso, no seio da tua família?

    Ou mais uma hipótese, sendo o nascituro prioritário em seus direitos, que tal imaginar uma amiga sua grávida e precisando realizar uma quimioterapia? Saiba que ela será impedida, pois a quimioterapia sabidamente interfere no desenvolvimento fetal. Sua amiga morrerá a míngua sem tratamento.

    Este é um lado da questão que os deputados que redigiram essa indigestão pública não mostram pra ninguém.

  35.   Contra o Estatuto do Nascituro disse:

    Em dois dias de divulgação mais de 3000 pessoas assinaram a petição contar o Estatuto do Nascituro!

    Faça parte da mudança, mostre seu repúdio a essa lei que ofende a integridade das mulheres e as obriga a gerar filhos de estupradores!

    Assine a petição contra o projeto de lei que proíbe aborto em casos de estupro, e envie seu repúdio aos deputados!

    http://estatutonascituronao.fw2.com.br/

  36.   Vivian disse:

    Verdadeiro absurdo esse estatuto dos horrores.

    Me admira que tenha sido aprovado pela Comissão de Família.

    Mas é fato que da Comissão de Finanças não passa.
    O governo já tem contas demais a pagara além de bolsa estupro.

    Não fosse somente a questão financeira, esse Estatuto é também inconstitucional.

    É apenas uma forma da bancada evangélica espernear contra o novo projeto de lei, que permitirá aborto por vontade da mãe em até 12 semanas de gestação.

    Deixa o povo espernar, só nos blogs eles podem xingar. A lei não está ao lado de gente doente como essa.

  37.   Ana disse:

    Aborto é um Direito. Pela legalização do aborto no Brasil.

  38.   Francisco Fernandes disse:

    Eu acho que a questao principal aqui, é a saúde da mulher. Se for REALMENTE o desejo e a necessidade dela, ela vai fazer um aborto. Negar que ela obtenha isso de forma humanizada, segura, responsavel e com o devido acompanhamento médico é o crime. Nao o aborto.

  39.   Maico Silveira disse:

    Mais um exemplo de religião tentando impor seus dogmas ao estado laico. Principalmente as mulheres devem, se não concordarem em ter sua liberdade de escolha ameaçada.

    http://sul21.com.br/jornal/2012/07/utero-servico-a-sociedade/

  40.   Paulo Rodrigues disse:

    O Projeto de Lei 478/07, mais conhecido como Estatuto do Nascituro, ( http://www.camara.gov.br/sileg/integras/770928.pdf ) ameaça a saúde de todos os brasileiros e brasileiras, mas principalmente das mulheres grávidas, em especial as enfermas, as mais pobres, e as sem acesso a informação e cuidados de saúde adequados.

    Saiba mais aqui!

    http://contraoestatutodonascituro.wordpress.com/

  41.   Felipe X disse:

    É, mais um dos casos que tenho que concordar com vocês, isso é totalmente facista. Veta Dilma!

  42.   Brasil disse:

    As religiões nascidas no oriente médio são as mais atrasadas do planeta; entre elas está o cristianismo que infelizmente chegou aqui na América.
    Veja o comportamento das religiões do oriente…
    temos muito a aprender com eles.

  43.   Ci disse:

    O engraçado é que todos que são a favor desse esquema hitlerista de controle sobre as pessoas ssão todos homens, que NUNCA vão engravidar se forem estuprados, e que provavelmente já ameaçaram estuprar uma mulher que não baixou a cabeça para suas “iluminadas” opiniões. São só mais um bando de amargurados que não tem mulher nenhuma justamente por causa da postura que tem diante delas e querem ferrar todas. É O TAL “MIMIMIMI, ESSAS VADIAS NÃO DÃO PRA MIM ENTÃO ELAS TEM MAIS QUE SE FERRAR MESMO!” Vocês deviam ter vergonha, se suas mães tivessem fechado as pernas não estariam aqui enojando a raça jumana em geral e os brasileiros em particular. Pois sou contra esse estatuto sim, me recuso a ter filho de algum babaca feito vocês e perpetuar essa raça maldita (estupradores e abusadores de mulheres) sobre a face da terra. VIVAM COM ISSO FACISTAS ENRUSTIDOS!

  44.   cRIS disse:

    Sabe o que é engraçado? Todos a favor desse estatuto são homens. Os que nunca vão engravidar nem mesmo se forem estuprados. Gato, anônimos covardes, Aurélio, Serial Killer Justiceiro, Marcos, Fernando, Clodoaldo, por que vocês não se assumem? Digam que são misóginos, que gostam é de homem e que odeiam as mulheres por que elas fazem concorrência? Agora, me digam: sem esse estatuto já existem muitas crianças em condições ruins porque nasceram de estupro e a mãe não pôde abortar. Vocês vão pagar o apoio psicológico para a mulher conseguir levar tal gravidez adiante? Vão levar a criança pra casa e criar? Vão adotar TODAS as crianças que nascerem assim e a mãe não quiser criar, por que ela tem direito de não criar um filho de estupro? Ou vão dizer que mulher não tem que chiar, mesmo se a criança for de estupro ela tem que cuidar e pronto? E se a mãe odiar a criança (acontece em casos de estupro) e fizer da vida desse ‘pobre inocente’ um inferno? Vão levá-lo pra sua casa e cuidar? Não. Então por favor calem a boca e não deem palpite no que não entendem e nem vão ajudar.

  45.   Anônimo disse:

    Só li comentarios a favor, isso é manipulação!!!!

  46.   Anônimo disse:

    Envergonhem-se filhas de Rockefeller, trabalhem por coisas justas, voces estão vivas deixem as próximas gerações nascerem, há um lugar preparado para vós, de acordo com tudo isso que estão fazendo!
    Rockefeller não se importa o mínimo com voces!!

  47.   Rubina Anerília disse:

    Oposição é sempre bem vinda, mas ela deve vir acompanhada de uma postura honesta. Sou militante das causas feministas e já há algum tempo, estou me retando com a deturpação que um segmento pró aborto vem fazendo com relação ao estatuto do nascituro na questão do estupro.
    Vamos ao que diz o estatuto:
    “Art. 13. O nascituro concebido em decorrência de estupro terá assegurado os seguintes direitos, ressalvados o disposto no Art. 128 do Código Penal Brasileiro:
    I – direito à assistência pré-natal, com acompanhamento psicológico da mãe;
    II – direito de ser encaminhado à adoção, caso a mãe assim o deseje.
    § 1º Identificado o genitor do nascituro ou da criança já nascida, será este responsável por pensão alimentícia nos termos da lei.
    § 2º Na hipótese de a mãe vítima de estupro não dispor de meios econômicos suficientes para cuidar da vida, da saúde do desenvolvimento e da educação da criança, o Estado arcará com os custos respectivos até que venha a ser identificado e responsabilizado por pensão o genitor ou venha a ser adotada a criança, se assim for da vontade da mãe.”
    Quem sabe ler, interpretar e é honesto, está percebendo que EM MOMENTO ALGUM É REVOGADO O DIREITO DA MULHER DE INTERROMPER A GESTAÇÃO DECORRENTE DE UM ESTUPRO.
    O estatuto do nascituro não revoga o artigo 128 do Código Penal Brasileiro. O que ele faz é garantir assistência para a gestação da mãe que vítima de um estupro, deseje levar a gravidez adiante. A mulher que não queira “amargar” uma gestação oriunda do estupro, continua com seu direito assegurado.
    Vamos fazer oposição com honestidade!

Deixe um comentário

Spam protection by WP Captcha-Free

URL para trackbackRSS para comentários deste artigo