Histórico dos Hinos

 
Autor:
Edgard de Almeida

.

Tu és Fiel, Senhor ! hc 469

      Tu és fiel, Senhor, meu Pai amado,
      Rico em bondade, grandioso em poder
      És infalível, jamais tens mudado,
      Como Tu eras, sempre és e hás-de ser.

      Tu és fiel, Senhor ! Tu és fiel, Senhor!
      Cada manhã me revelas amor;
      Sempre me dás tudo quanto careço;
      Oh! Sim, Tu és fiel a mim, Senhor !

      Teus astros a brilhar, oh, que beleza !
      Os altos montes e o tão vasto mar,
      Em multiformes sinais de grandeza,
      A Tua glória vêm testemunhar.

      Tu dás perdão, Senhor, paz perdurável,
      Tua presença para me confortar,
      E, mais que tudo, oh, que graça admirável
      No céu contigo irei sempre habitar !

    Dos hinos cristãos escritos nos anos mais recentes, um, em particular, sobressai como a luz de um farol, devido à sua mensagem, vinda do Pai celestial que continuamente sustenta e cuida dos Seus filhos.

    Este hino,"Tu és fiel",foi escrito por um pregador que depois se tornou repórter de um jornal, Thomas O. Chisholm, de Vineland, Nova Jersey; e a música foi composta por William M. Runyan.

    Muitos hinos têm sido escritos motivados por alguma experiência particular, porém, observando a vida do sr. Chisholm, chegamos à conclusão de que este hino foi o resultado de uma experiência do "dia a dia" da fidelidade de Deus para com Ele.

    A história começou em 1941. Dois homens estavam revendo a lista de membros dos Gideões, quando viram, de repente, um nome que lhes era familiar. Descobriram que era o nome do sr. Thomas O. Chisholm e com a seguinte anotação ao lado: "Cancelado por falta de pagamento".

    Eles se lembraram de que o sr. Chisholm era o autor de um hino que muito impressionou o missionário John Stam, que fora martirizado. Este mesmo hino fora o tema da vida de Stam durante os seus estudos no Instituto Bíblico Moody, quando se preparava para o serviço missionário e que, finalmente, levou-o a entregar a sua vida, juntamente com a da sua querida esposa, a fim de que outros pudessem ter vida ...

    Os dois homens ficaram sensibilizados com o achado. Pensaram que eles mesmos é que deviam pagar a dívida ao sr. Chisholm.

    Ao mesmo tempo que o Senhor estava tocando também no coração de um homem de negócios, na cidade de Nova Iorque, o qual não podia dormir porque passava-lhe pela mente o pensamento de que o sr. Chisholm, a quem ele não conhecia pessoalmente, mas apenas através dos hinos sacros que escreveu, estava em grande aperto financeiro. Mas, como poderia fazer chegar a ele qualquer importância em dinheiro? Não sabia onde ele morava!

    '' Estou certo de que o procurador Jacob Stam sabe do seu endereço", pensou ele. "Pedirei a ele para levar este dinheiro ao st. Chisholm".

    Assim fez, mas a história não termina aqui. Pela primeira vez em sua vida a família Chisholm estava enfrentando uma necessidade desesperada que, do ponto de vista humano, jamais poderia ser solucionada.

    Naquela noite, quase como simples crianças, eles levaram aquele problema à presença do Pai celestial, não sabendo, contudo, que o Senhor já havia respondido. Na manhã seguinte o correio trouxe ao casal Chisholm uma única carta - era do sr. Jacob Stam - e dentro se encontrava a importância de que necessitavam, enviada pelo homem de negócios de Nova Iorque, que jamais conheceram!

    Alguém poderia dizer que foi uma coincidência; mas devemos dizer como disse o sr. Chisholm: "Foi a fidelidade de Deus! " Pois, numa carta escrita em 1949, ele disse: "Estou próximo dos meus oitenta e três anos de idade, mas a força do alto tem sido sempre suprida, juntamente com o cumprimento da Sua promessa: "O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades ( Filipenses 4.19).

    Não somente o suprimento das necessidades, mas as ocasiões desse suprimento, têm assinalado os marcos do Seu cuidado providencial, cada dia, cada momento".

© refrigerio.net