Javascript desabilitado, alguns recursos visuais serão desabilitados mas a navegação será respeitada. BNDES aprova financiamento de R$ 513 milhões para a construção do Estaleiro Atlântico Sul, em PE
D

Menu global detalhado

Menu com programas e serviços do banco

Menu com programas e serviços do banco

F

Menu com dados de contato, duvidas e mapa do site

B


Links úteis

Notícias


C

BNDES aprova financiamento de R$ 513 milhões para a construção do Estaleiro Atlântico Sul, em PE

10.04.07

O BNDES aprovou financiamento no valor de R$ 513,4 milhões para a instalação do Estaleiro Atlântico Sul, no Complexo Industrial e Portuário de Suape, no município de Ipojuca, em Pernambuco. O financiamento, com recursos do Fundo da Marinha Mercante (FMM), equivale a 77% do investimento total, de R$ 667,4 milhões.

O Estaleiro Atlântico Sul será o responsável pela construção dos 10 navios-tanque do tipo Suezmax, que fazem parte do lote de 26 navios a serem construídos na primeira fase do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro. O financiamento para a produção dessas embarcações, no valor de R$ 2,47 bilhões, já foi aprovado pelo BNDES em janeiro último ao Estaleiro Atlântico Sul e à Transpetro, correspondente a 90% do investimento total de R$ 2,75 bilhões. Foi, até então, o maior crédito aprovado pelo BNDES para o setor naval e um dos maiores de toda a história do Banco.

A aprovação desse financiamento à construção das 10 embarcações foi fundamental para a viabilização econômico-financeira do projeto e para a decisão dos empreendedores de implantação do Estaleiro Atlântico Sul. Devido ao elevado volume de recursos necessários à construção de navios, a existência de uma carteira de encomendas é fator decisivo dos negócios no setor naval.

A operação de financiamento à implantação do Estaleiro Atlântico Sul foi estruturada utilizando metodologia inovadora de classificação de risco de projetos, recentemente aprovada pela diretoria do BNDES. A nova metodologia, focada em projetos de infra-estrutura, permite ao BNDES, mantendo a prudência bancária e os critérios de análise de viabilidade de projetos, estruturar operações levando em conta o fluxo de caixa projetado para o empreendimento, as garantias e compromissos negociados com os acionistas para diminuir o risco da operação, e, conseqüentemente, melhorar seu rating. Com isso, para projetos de infra-estrutura, foi aperfeiçoada a metodologia tradicionalmente adotada pelo Banco de exigir garantias pessoais e reais do tomador do crédito.

No caso do projeto do Estaleiro Atlântico Sul, a estrutura de financiamento permitiu abolir a exigência de garantias pessoais dos controladores do projeto após a conclusão das obras do estaleiro. Com essa flexibilização, os acionistas do projeto podem liberar seus limites de financiamento com o BNDES para viabilizar novas operações de crédito e, assim, alavancar outros projetos de investimento.

Destaques do projeto - Com capacidade de processamento de 100 mil toneladas/ano de aço para a construção de embarcações de grande porte, plataformas e estruturas flutuantes, o Atlântico Sul será o maior estaleiro do Hemisfério Sul. Atuará na construção de navios cargueiros, como petroleiros, graneleiros, conteneiros, químicos e gás natural, mas também está capacitado a construir estruturas offshore, além de fazer reparos e manutenção das embarcações.

O Estaleiro Atlântico Sul é uma associação da Construções e Comércio Camargo Corrêa S. A. e da Construtora Queiroz Galvão S. A . , com 49,5% cada uma, além da participação da PJMR Empreendimentos Ltda, com 1% do capital. O projeto conta com a parceira tecnológica da Samsung Heavy Industries, o segundo maior estaleiro mundial em construção naval e de plataformas offshore.

O empreendimento terá importante impacto na geração de emprego e renda na região, com a criação prevista de 5 mil empregos diretos e cerca de 20 mil empregos indiretos, possibilitando também a formação de um pólo de indústrias de suporte á construção naval do Estado de Pernambuco.

Entre os méritos do empreendimento, destacam-se o desenvolvimento e capacitação tecnológica do parque nacional de estaleiros, a revitalização da indústria nacional da construção naval, economia de divisas pela substituição de embarcações de bandeira estrangeira atualmente em operação no País.

O novo estaleiro contribuirá ainda para o aquecimento de diversos setores industriais fornecedores de insumos e bens intermediários , entre eles o metalúrgico, siderúrgico, químico e de instalações elétricas , que atenderão ao objetivo de nacionalização de até 65% das embarcações.

Localizado próximo à futura refinaria da Petrobras, onde haverá grande circulação de navios petroleiros, o Estaleiro Atlântico Sul deverá ser importante centro de manutenção e reparos, pois será o único estaleiro na América Latina com capacidade de docagem de embarcações de grande porte.

O novo estaleiro terá uma área de 600 mil metros quadrados dedicada exclusivamente à construção naval e possuirá um cais de 750 metros de extensão , permitindo o processo de acabamento de até três navios Suezmax simultaneamente. Terá também área exclusiva para a construção de estruturas offshore e possuirá um cais de 500 metros de extensão com capacidade para o acabamento simultânea de duas plataformas offshore.

topo

Volta para Notícias