Pet sitter - babá de bichinhos de estimação vira moda no Brasil

Qui, 05/04/2012 - 10h05 - Dinheiro seja a primeira a comentar

Profissão Pet sitter

Marley e Eu Foto: Reprodução IMDB


Ficar o dia inteiro fora, viajar a trabalho ou a lazer são verdadeiros tormentos para quem possui animais de estimação. Com receio de deixar o bichinho em locais desconhecidos, os donos são sempre obrigados a procurar um vizinho ou parente próximo para dar comida e atenção para o mascote. Há quem arrisque deixar o animal preso em casa, mas dependendo da raça e do temperamento dele, a ideia pode resultar em móveis destruídos e muito prejuízo.

Publicidade



Para minimizar estes problemas, chega ao Brasil uma nova profissão: pet sitter ou babá de animais. O profissional visita o pet quantas vezes forem necessárias para alimentar, cuidar, limpar, brincar e até passear. Uma visita padrão inclui a higiene do local onde o pet faz suas necessidades, manutenção de água e comida fresca e atenção. As visitas podem ser tanto para os donos que precisam viajar ou para aqueles que ficam fora de casa o dia inteiro ou por longos períodos.

Contratar uma pet sitter é novidade no Brasil, mas nos Estados Unidos e na Europa é uma prática muito comum. No filme ‘Marley e Eu’ o casal John (Owen Wilson) e Jenny (Jennifer Aniston) viajam para Irlanda e deixam o cachorro Marley, um cão indisciplinado, com uma pet sitter.

Existem muitas vantagens em se contratar esse serviço: o animal tem uma redução de estresse por estar sendo cuidado no próprio lar, não precisa sair de sua rotina e ambiente, não fica confinado em gaiolas ou espaços apertados. A exposição a parasitas também é minimizada, já que o bichinho não tem contato com animais desconhecidos.

A veterinária e proprietária do My Pet Nanny, Andressa Contijo, conta que outra vantagem desse serviço é que ele é completamente personalizado pelo dono do animal. "Ele dirá o que o animal deve ou não comer, se ele gosta de passeios, ou não, se toma medicamentos e a que horas devem ser administrados."

O serviço pode ser contratado para animais dos mais diversos tipos, como cachorros, gatos e aves. "Já cheguei a cuidar de uma tartaruga", conta a proprietária do Petit Ticos, Rossana Paiva. A única exceção é se o animal for muito agressivo com pessoas estranhas. "Já tive casos de me chamarem para ser pet sitter de cães de guarda. Tentei entrar na casa da pessoa em sua ausência, simulando uma possível viagem e os cães ficaram muito agressivos. Nesses casos temos que sempre pensar em preservar o bem-estar da pet sitter", comenta Andressa.

Rossana avisa que para se tornar uma pet sitter é preciso, primeiramente, gostar muito de animais e de cuidar deles. "Você deve ser muito carinhosa e atenciosa com os pets. Como eles já estão em casa, sem seus donos, as pet sitters precisam suprir essa necessidade de carinho."


Andressa conta que já existem cursos no Brasil para as pessoas poderem trabalhar como pet sitters. "O curso abrange primeiros socorros, passo a passo de uma pet sitter, relatórios, como lidar com animais agressivos, como devem ser os passeios, dentre outros assuntos."

Mas como em qualquer outro serviço, procure informações da empresa que você pretende contratar. "Se for mais cômodo para dono pode-se deixar alguém de confiança com as chaves ou para supervisionar a visita", afirma Rossana.

Por Flávia França (MBPress)

Nenhum comentário

seja a primeira a comentar

especiais