A empresa Estradas de Portugal está a efectuar obras de reabilitação e reforço estrutural da Ponte Romana de Segura. Como a ponte não está classificada, a EP não comunicou ao IPPAR o âmbito da intervenção. O resultado foi desastroso para o monumento romano pois optaram por colocar cimento para reforço dos pilares. A lamentável actuação da EP revela uma insensibilidade e incompetência que só merece ser censurada, principalmente porque já só restam 4 grandes pontes romanas em Portugal, a Ponte de Trajano em Chaves, a Ponte da Pedra em Torre de D. Chama, a Ponte da Vila Formosa em Alter do Chão e esta Ponte de Segura sobre o Rio Erges em Idanha-a-Nova, na fronteira com Espanha.

As fotos que apresento foram gentilmente cedidas pelo investigador espanhol Juan Gil que me alertou para mais este atentado contra o nosso património. Nas suas palavras:
“¿Cómo puede permitirse en Portugal la realización de este proyecto (mejor atentado) que está recubriendo con hormigón los sillares inferiores del puente romano?. ”