Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


Rajoy diz que velará pelo interesse geral e cumprimento da lei

por Lusa  

Rajoy diz que velará pelo interesse geral e cumprimento da lei
Fotografia © AFP PHOTO / DANI POZO

O Governo debaterá amanhã o parecer do Conselho de Estado, que aprovou um parecer favorável à impugnação da consulta alternativa à independência da Catalunha.

O primeiro-ministro espanhol afirmou hoje que o Governo debaterá na sexta-feira a impugnação da consulta de 09 de novembro com o único objetivo de garantir o cumprimento da lei e que tomará uma decisão de interesse geral.

Mariano Rajoy fez estas declarações numa conferência de imprensa no Palácio de Moncloa, depois de uma reunião com a Presidente do Chile, Michelle Bachelet. 

A comissão permanente do Conselho de Estado aprovou hoje por unanimidade, um parecer favorável à impugnação da consulta alternativa de 09 de novembro na Catalunha, sobre a independência desta região da Espanha. 

Na sexta-feira, adiantou Rajoy, o Governo debaterá o parecer do Conselho de Estado e, no caso de tomar formalmente a decisão de recorrer da consulta alternativa, deverá esperar uma resposta do Tribunal Constitucional, e depois a reação da Generalitat (governo catalão). 

A consulta alternativa, assegurou o chefe do governo espanhol, não cumpre com as garantias democráticas e "só serve para gerar tensão"

"Sinceramente, isto não se faz, a lei deve ser cumprida", disse Rajoy, depois de recordar que o presidente do governo catalão, Artur Mas, acatou a decisão do Tribunal Constitucional de suspender a lei de consultas e o referendo convocado para 09 de novembro. 

O primeiro-ministro acrescentou que ele mesmo qualificou a desistência de Mas em convocar um referendo ilegal de "acertada", mas desde então o governo catalão tem dados passos para realizar "algo parecido" (a consulta alternativa). 

"Uma pseudo consulta que não foi convocada", na qual não há senso e nem lei que a ampare", nem organização que vele por sua neutralidade e nem se conhecem quem serão os membros da mesas de votação, de acordo com Rajoy. 

O político espanhol referiu expressamente as "pressões" que a Generalitat exerceu sobre os meios de comunicação para que emitam publicidade da consulta e disse ainda que "é um mal passo, numa má direção". 

"Temos mantido uma atitude prudente, mas sempre atentos à principal obrigação de qualquer Governo, que é que se cumpra a lei", declarou o chefe do Executivo espanhol. 

O Governo catalão tem insistido que não há qualquer convocatória formal da consulta ou qualquer ordem a funcionários ou serviços para a realização do voto.

Argumenta, por exemplo, que todo o processo vai ser realizado por voluntários e que não constitui qualquer referendo mas apenas um "processo de participação cidadã" pelo que isso está dentro das competências regionais.

O Governo espanhol insiste que as autoridades catalãs estão a cometer fraude, no sentido de que pretende realizar um processo proibido através de um caminho alternativo, como disse esta semana o ministro da Justiça.


Patrocínio
 
1091Visualizações
3Impressões
1 Comentário
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 
Comentar

Se tem conta, faça Login

Email

Password




PUB

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Epaper
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN (Cartão) (11-12Nov)



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Estado deve investigar até encontrar responsáveis pelo surto de legionela?

Sim
Não
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper