Esporte
Gabriel Seixas gabriel.seixas@portalamazonia.com
Atualizado em 22/06/2015 21:16:41

Público total do Amazonense é inferior à capacidade da Arena da Amazônia

Campeonato Amazonense de 2015 teve público pagante total de 33.323 pessoas, insuficiente para ocupar os 44,3 mil lugares da Arena

MANAUS – A edição 2015 do Campeonato Amazonense de Futebol encerrou no último sábado (20). Em jogo na Arena da Amazônia, o Nacional venceu o Princesa do Solimões por 2 a 1 e faturou o bicampeonato estadual consecutivo. Das 96 partidas realizadas na competição, apenas os dois jogos da final aconteceram no estádio da Copa do Mundo de 2014. Para piorar, a média de público do campeonato também ficou abaixo da expectativa. O público pagante total do 'Barezão' foi de apenas 33.323 torcedores (média de 347 pagantes por jogo), insuficiente até mesmo para lotar a Arena, estádio com capacidade para 44,3 mil pessoas.


Público na final do Amazonense foi de 5.326 pagantes, o maior do campeonato. Foto: Ennas Barreto/Nacional

No ano passado, o público pagante total do Amazonense foi de 37.862 pessoas, superior à edição deste ano. Curiosamente, o estadual de 2014 teve apenas 58 jogos. Ou seja, mesmo com 40% de partidas a mais neste ano, o torcedor se fez ainda menos presente nos estádios. Nem mesmo a disponibilidade dos modernos estádios da Colina e do Carlos Zamith, que serviram como Campos Oficiais de Treinamento (COTs) na Copa do Mundo, foi capaz de atrair bom público.

Assim como no ano passado, a Arena da Amazônia foi ignorada pelos times amazonenses nesta edição. Os clubes alegam que o alto custo inviabiliza eventos no estádio da Copa. Desta forma, apenas as finais do campeonato foram disputadas na Arena. O quadro móvel das duas partidas foi bancado pelo Governo do Amazonas, de modo que evitasse prejuízo financeiro aos clubes finalistas.

O jogo decisivo do Campeonato Amazonense reuniu um público de 5.326 pagantes (6.787 presentes) na Arena da Amazônia. Este é o maior público em finais do Barezão na última década. As duas partidas da edição 2015 na Arena ajudaram a 'turbinar' o público total do campeonato. Isto porque os jogos no maior estádio local reuniram um público de 8.207 pagantes, o que representa quase 25% do público total da competição.

No ano passado, a Arena da Amazônia sediou apenas um jogo do Campeonato Amazonense. Na ocasião, Fast e Princesa do Solimões empataram sem gols diante de um público pagante de 8.073 pessoas. O número é superior aos jogos da final deste ano.


Fast e Princesa fizeram o único jogo entre amazonenses na Arena em 2014. Foto: Michael Dantas/Sejel-AM

Baixa arrecadação

A arrecadação dos jogos do Amazonense 2015 também deixou a desejar. A renda total das 96 partidas foi de R$ 462.160 (média de R$ 4.814 por jogo). Para se ter uma ideia, cada jogo disputado na Arena da Amazônia pós-Copa em 2014 (todos envolvendo clubes de fora do Amazonas) arrecadou mais que o dobro da renda total do Amazonense. Oeste x Vasco (Série B), por exemplo, gerou R$ 1.101.570 de renda.

A competição também foi marcada por públicos irrisórios. No dia 28 de março, Iranduba e Operário levaram apenas quatro pagantes ao estádio da Ulbra. Em 20 de maio, também na Ulbra, o jogo entre Manaus e Operário reuniu apenas cinco pagantes, mesmo público do jogo entre Iranduba e Penarol em 23 de maio, no Carlos Zamith. Em todos estes jogos, há uma coisa em comum: havia mais gente em campo do que nas arquibancadas.

Não fossem os jogos disputados na Arena, a arrecadação do Campeonato Amazonense de 2015 seria um fracasso ainda maior. Os dois duelos entre Nacional e Princesa na Arena geraram uma renda de R$ 149.235, cerca de 32% da renda total do campeonato.


Campeão do Amazonense, Nacional teve prejuízo em sete das 11 partidas que disputou como mandante. Foto: Ennas Barreto/Nacional

Com exceção dos jogos da final, apenas quatro partidas do estadual de 2015 superaram a casa dos mil pagantes. O mando dos quatro jogos foi do Penarol, no estádio Floro de Mendonça, em Itacoatiara. No jogo de ida da semifinal, contra o Nacional, nada menos que 1.850 pagantes compareceram às arquibancadas.

Elefante branco?

Com o fim do Campeonato Amazonense, os clubes locais não devem voltar a jogar na Arena em um futuro próximo. O Nacional representa o Amazonas na Série D do Campeonato Brasileiro, mas o presidente do clube, Mário Cortez, já adiantou que não pretende promover jogos no estádio da Copa.

O ínfimo público do Campeonato Amazonense e o baixo poderio financeiro dos clubes locais reacende o temor por um 'elefante branco'. Em 2015, a Arena da Amazônia recebeu apenas três jogos oficiais. No ano passado, o calendário do estádio pós-Copa foi movimentado por clubes de outros estados, especialmente os cariocas Flamengo e Botafogo. Neste ano, entretanto, a Fundação Vila Olímpica (FVO) alega que ainda não recebeu nenhuma proposta para a realização de um grande evento futebolístico na Arena.


{{ commentsTitle }}
Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Ao comentar o autor da mensagem esta aceitando os Termos e Condições de Uso.
{{comment.username}} {{comment.creation_tstamp*1000 | date:'dd/MM/yyyy - HH:mm'}}
{{comment.comment}}
  • {{comment.dislike_count | number}}
Comentário aguardando moderação